segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

Retrospectiva incendiária (4 de 4)

Outubro

Se intensifica a campanha do PSTU em homenagem aos 90 anos da Revolução Russa por todo o país. Lula privatiza trechos de rodovias federais nas regiões Sudeste e Sul.

No dia 24 de outubro, 16 mil ativistas vindos de todo o país marcham sobre Brasília em maior ato já realizado contra as reformas neoliberais do governo Lula. Segunda onda de ocupações das reitorias das federais estoura em todo o país contra o REUNI de Lula.

Novembro

CONLUTAS realiza seu I Encontro de Negros e Negras. O portal do PSTU é atacado por hackers. Polícia invade UFBA, agride e prende estudantes.

Dezembro

Depois de meses tentando aprovar CPMF, governo Lula é derrotado em votação no senado e o imposto não terá mais validade a partir de 2008. Hugo Chavez perde o referendo venezuelano que lhe daria superpoderes e James Petras perde o juízo. Dom Cappio realiza greve de fome contra a transposição do Rio São Francisco e governo faz pouco caso.

Blog Molotov faz retrospectiva do ano de 2007. :)

E por esse ano é só.

domingo, 30 de dezembro de 2007

Retrospectiva incendiária (3 de 4)

Julho

Complica-se cada vez mais a situação de Renan Calheiros e os pcdobistas não poupam esforços em salvar o presidente do senado. Começa a tomar corpo a campanha do plebiscito popular 2007. Lula leva uma vaia olímpica na abertura dos jogos Pan-americanos em pleno Maracanã lotado.

17 de julho: o boeing TAM 3054 não consegue parar na pista de Congonhas e mais de 200 pessoas morrem numa das maiores tragédias do país.

Morre Ernesto Gonzalez
, militante trotskista com quase 60 anos de vida dedicados à causa da revolução socialista.

Morre Antônio Carlos Magalhães, o toninho Malvadeza: Já foi tarde!

Agosto

Após as vaias olímpica, paraolímpica e algumas vaias regionais, setores da burguesia ensaiam um cansaço com Lula, mas os lucros dos incansáveis banqueiros não deixam os cansadinhos ir muito longe.

Movimentos sociais, entre eles a CONLUTAS, organizam o SEMINÁRIO NACIONAL EM DEFESA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL PÚBLICA. Polícia reprime violentamente protesto dos operários da COSIPA de Cubatão.

Setembro

Plebiscito popular move milhares em todo o país apesar do papel que cumpriram CUT e UNE na desconstrução do mesmo. PT realiza Congresso, vota apoio ao plebiscito para em seguida Lula e Berzoini desautorizarem o próprio Congresso.

Renan Calheiros é absolvido em sessão secreta do Senado Federal numa das maiores pizzas da história da república brasileira.

Trabalhadores dos Correios entram em Greve . Polícia desocupa violentamente a reitoria da Fundação Santo André.

sábado, 29 de dezembro de 2007

Retrospectiva incendiária (2 de 4)

Abril

Abril foi o mês da greve dos controladores de vôo registrada aqui em "Conlutas ao lado dos controladores de vôo" e "Para sindicalista Lula, presidente Lula é ‘sacana’". Iniciamos o nosso observatório das mentiras da Globo contra a Previdência Pública com o arremesso "E a campanha pela reforma da previdência vem com tudo". Registramos a decepção de Noam Chomsky com Lula. Mas o principal marco para o Molotov, foi sem dúvida nosso recrutamento para as fileiras do partido, passando a ser o Blog Oficial do PSTU.

Foi já como blog do PSTU que registramos a peleja entre José Dirceu e Altamiro Borges em função da participação do MST e da CSC no Encontro Nacional Contra as Reformas Neoliberais (Dirceu preocupado, Dirceu continua preocupado e E a tréplica veio).

Maio

O primeiro de maio unificado moveu milhares e deu os primeiros sinais do que ainda estaria por vir. A primeira onda de ocupações de reitoria das federais tomou conta do país com a Ocupação da USP tomando merecido destaque. Na UFAL, estudantes rechaçam a UNE e seu presidente Gustavo Petta.

Maio também foi um mês carregado de pérolas ( Lula e o salário mínimo, "Um gerente qualquer tem um salário melhor que um ministro", Os especuladores devem agradecer e o super revoltante Para Lula, servidor público não faz greve, tira férias).

No dia 23, a maior manifestação nacional dos últimos 10 ou 15 anos quase parou o Brasil contra as reformas neoliberais do governo Lula.

Junho

Os metalúrgicos da CSN quebraram um jejum de 17 anos e foram à greve. Servidores do INCRA furaram o bloqueio da imprensa e da segurança do presidente e fizeram protesto na cara do Lula. A ocupação no Haiti completou três anos e a CONLUTAS organizou uma caravana ao país para exigir o fim da ocupação com direito a blog com posts diários. Novas ocupações de reitoria se sucedem marcando a luta em defesa da universidade pública e uma plenária nacional de estudantes é convocada para a USP ocupada.

Marta Suplicy, nos brinda com o que possivelmente foi a pérola do ano: "Relaxa e goza".

No dia 27, uma megaoperação militar assassinou mais de dez pessoas no Complexo do Alemão.

Retrospectiva incendiária (1 de 4)

2007 foi um ano e tanto para o Molotov e como dezembro é o mês das retrospectivas aí vai uma pequena revisita aos arremessos do ano que se apaga.

Janeiro

Começamos o ano sem saber exatamente até onde o blog iria, vale lembrar que o blog era ainda uma iniciativa deste Incendiário com o apoio do meu camarada Iskra. Janeiro foi o mês em que assistimos à tragédia anunciada da cratera da linha 4 do metrô de São Paulo e muito se falou e escreveu a respeito, e também o Molotov fez seus arremessos.

Fevereiro

Fevereiro foi um mês de pouca atividade no blog, mas também foi o mês em que as coisas começaram a apontar para um novo rumo, com os primeiros contatos para o trabalho conjunto entre o portal do Partido e nosso blog.

Março

A cobertura do ato em homenagem a Nahuel Moreno foi sem dúvida um marco não só para o blog mas para a própria política de comunicação do PSTU. A transmissão ao vivo e os arremessos em tempo real numa colaboração direta entre blogueiros de Fortaleza e a equipe comunicação do Partido permitiram que milhares de ativistas pudessem acompanhar esse grande ato em homenagem ao velho Moreno.

Ainda em março, Bush veio ao Brasil e uma onda de manifestações em protesto correu o país. No dia 4 de março, encerrou-se o 26º congresso do ANDES que filiou o sindicato à CONLUTAS. Em 17 de março, dezenas de milhares de estadunidenses marcharam contra a guerra do Iraque, foi a "March On the Pentagon".

Entre tantas pérolas ditas no ano, as de Lula revelando seus heróis, não poderiam deixar de ser lembradas.

Vale ainda o destaque da cobertura do Encontro Nacional Contra as Reformas Neoliberais feita também através do blog Molotov.

terça-feira, 25 de dezembro de 2007

Francesco Cossiga acusa CIA e Mossad pelos atentados de 11 de setembro de 2001

Georges Bourdoukan é jornalista e escritor nascido no Libano, autor de "O Peregrino" "A Incrível e Fascinante História do Capitão Mouro" e "Vozes do Deserto" e cronista da revista Caros Amigos. No início deste mês Bourdoukan repercutiu em seu blog a notícia publicada no Corriere della Serra, de que o ex-presidente da Itália, Francesco Cossiga, havia acusado a CIA e o Mossad por planejar atentados do 11 de setembro e que tal fato era de conhecimento dos serviços de informações a nível global.

Bourdoukan, registrou hoje o silêncio profundo e deprimente de todos os meios de comunicação inclusive os de esquerda acerca da denúncia de Cossiga. Como concordo com o jornalista acerca do assunto, não poderia deixar nosso Molotov na vala comum a qual Bordoukan denuncia.

Particularmente, creio ser plenamente viável tal possibilidade, não só pelo histórico das conspirações oficiais ianques, mas em especial pela situação política e econômica de então. Vejamos:
  1. Até 2001, a economia estadunidense se afundava em uma imensa crise tendo levado os mercados emergentes a quebrar um após o outro (México 1994, Tigres asiáticos 1995, Rússia 1996, Brasil 1997);
  2. O presidente George W Bush vivia também uma tremenda crise de credibilidade tendo sido empossado sem ter sido eleito;
  3. Os EUA não conseguiam avançar em seus planos imperiais militares na medida em que apesar do apoio a todo tipo de bando mercenário e a construção de golpes não tinham ainda conseguido superar sua síndrome do Vietnã;
  4. A resistência e o sentimento anti-imperialistas assim como os movimentos anticapitalistas se encontravam em ascenso por todo mundo inclusive dentro do próprio território ianque;
Eis que surge Bin Laden e no fim das contas o resultado prático dos atentados foram:
  1. O incremento da indústria bélica, o saque do petróleo iraquiano pelos EUA e os "planos de reconstrução" dos territórios invadidos favorecendo em especial as indústrias estadunidenses;
  2. Bush, assumiu o posto de liderança mundial na luta contra o terror e foi reeleito presidente em 2004;
  3. Duas guerras levaram contingentes de soldados ianques à invasão do Afeganistão e do Iraque;
  4. Leis duras contra os movimentos sociais foram implantadas em especial no território estadunidense como o ato patriota.
Vale lembrar que o principal argumento pró-Bush em 2004 foi justo a luta contra o terror e que ainda hoje ninguém achou os destroços do boeing que acertou o pentágono.

É preciso cobrar a verdade sobre os fatos. Nada justifica o massacre contra os povos de todo o mundo levado adiante pelos abutres ianques. Nada justifica Guantanamo e Abu Ghraib. Mas se o injustificável está alicercado em cima de atentados promovidos pelos próprios ianques, mais motivos ainda tem todos os povos do mundo para se rebelar.

Leia o que blog já publicou sober os atentados aqui.

segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

Então é natal...

Samuca

Ivan

J Bosco

Lane

Bruno

Dalcio

Nova enquete

Na enquete anterior, 32 blogonautas passaram por aqui e deram sua opinião sobre como seria o resultado da votação da CPMF no dia 11/12. O resultado da enquete ficou assim:
  1. Vai adiar mais uma vez: 9 (28%)
  2. Vai votar na terça e vai perder: 6 (18%)
  3. Vota e ganha: 17 (53%)
Acertaram os 9 camaradas que caracterizavam que o governo adiaria mais uma vez a votação, e como não é novidade pra ninguém, o governo adiou e ainda perdeu. A análise sobre a derrota do governo pode ser lida no artigo "CPMF: Governo Lula sofre dura derrota" assinado pelo companheiro Diego Cruz.

Agora gostaríamos de convidar os companheiros a dar sua opinião sobre qual a principal cobertura realizada pelo Molotov no ano que está para se encerrar.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

Letícia Sabatella e a luta de dom Cappio

A atriz Letícia Sabatella se engajou na luta em defesa do rio São Francisco, contra a transposição. No vídeo abaixo, ela dá uma declaração em apoio a dom Cappio, frei que está em jejum há quase um mês.

quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Haiti livre

O companheiro Rafael Rossi, de Niterói (RJ), escreveu uma poesia sobre o Haiti e o capitalismo hoje.

“Esse texto não fala exclusivamente do Haiti, mas do mundo de hoje, da nova etapa do imperialismo, das democracias coloniais e da percepção diretamente individual, até mesmo do ponto de vista pessoal desses fenômenos, do reflexo disso nos indivíduos”, diz Rafael.

Abaixo, publicamos Haiti Livre, de Rafael Rossi.


Haiti livre

Sou imigrante, retirante nesse mundo
E o mundo todo hoje é um Haiti
E não há lugar pra mim
E não há lugar pra mim
Sonhos e vidas despedaçados
Capitães-do-mato a caça dos escravos
Tropa de choque contra a multidão
De Toussaint a Zumbi e a João Cândido
É a revolução negra contra a exploração
Minustah no Alemão, BOPE no Haiti
É navalha na carne, a marca da chibata
As mãos calejadas, as costas marcadas
E um rio de gente sai em marcha
Brasileiro da Bolívia, venezuelano da Argentina
Cidadão da América Latina
Mas atirem álcool no meu corpo
Joguem seu petróleo na Baía
O Iraque é aqui
O Haiti é aqui
Quero uma dose de heroína na veia
Quero deitar na cadeira do analista
Que é pra ver se esqueço da vida
No verde da cana me perco em pensamento
No calor da fábrica, perco o pensamento
Vou entrar no jogo pra ver se não fico tão sozinho
Vou virar a mesa e abandonar a partida
Mas não jogo a toalha até que a batalha esteja vencida
Ocupar, resistir, produzir
Haiti livre, Brasil livre
Aqui é o Haiti
Aqui é o Haiti
Aqui é o Haiti
São várias vozes numa só
Pelos cantos desse canto e eu canto
Um deserto de sal ali, logo em frente
Um vermelho-sangue que cobre o céu ao poente
Favela, gueto, prisão, senzala
Sangue índio, suor negro pela estrada
Quero toda a liberdade que esse mundo não pode me dar
Quero lutar, subir pra respirar
Haiti livre, mundo livre
Porque hoje o mundo inteiro é um Haiti
Porque hoje o mundo inteiro é o Haiti
O Haiti é aqui
O Haiti é aqui.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

O chavismo fez mais uma vítima

É com imenso pesar que constatamos que o chavismo fez mais uma vítima.

James Petras, professor socialista estadunidense que participou de vários atos no Brasil em conjunto com o PSTU, chegando a apoiar a candidatura à presidência de José Maria de Almeida em 2002 e a participar do ato de fundação da CONLUTAS, já vinha dando sinais de estar em estado acelerado de infecção ideológica pelo chavismo. Tal infecção em um de seus mais altos graus, leva o enfermo a acusar a todos de contra-revolucionários.

No último dia 3, Petras, pelo qual sempre tivemos imenso respeito, chegou ao fundo do poço do chavismo. Em entrevista à Efraín Chury Iribarne da Rádio Centenário CX36 do Uruguai, o professor acusou o PSTU de associar-se à forças contra-revolucionárias venezuelanas financiadas pela CIA. O conteúdo completo da entrevista pode ser lido no portal La Haine.

Sentimos muito professor Petras pelo que o chavismo fez ao senhor. Esperamos que a luta de classes possa fazer recobrar-lhe a saúde. Infelizmente os sintomas relacionados à calúnia e à mentira, nos dão provas do contrário.

Leia no portal: Carta Aberta a James Petras, dos companheiros Eduardo Almeida e José Maria de Almeida.

sábado, 8 de dezembro de 2007

As várias faces de um MetamorLula Ambulante

E os chargistas nacionais não podiam deixar escapar a pérola da metamorfose lulista passar em branco. Na sequência: Amorim, Lane, Solda, Amarildo e Rico.

Amorim: metamorpéspelasmãos


Lane: metamorluney


Solda: metamorcpmf


Amarildo: metamorlucano


Rico: metamorlulahc

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Enquete no Blog

Estamos com uma enquete no blog e queremos sua opinião. Chegamos a dezembro sem o governo conseguir aprovar a CPMF. Hoje, com medo de perderem a votação, os governistas fizeram adiar a votação para terça, dia 11, e Lula avistando a possibilidade real de não ver a CPMF aprovada partiu pra ofensiva contra a oposição no senado afirmando que, "se os senadores tiverem juízo, votam a favor da CPMF."

O Molotov quer saber: o governo vai conseguir aprovar a CPMF semana que vêm?

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Presidente "Metamorfose Ambulante"

Hoje, no lançamento do PAC da Saúde, Lula disse o seguinte:

- Eu prefiro ser uma metamorfose ambulante, mudar de acordo como as coisas mudam. Eu não tenho a dureza do manifesto de um partido comunista ortodoxo, que diz que tudo já está escrito. Não, tem muita que não está escrita ainda - disse.

Além de tentar justificar sua incoerência de ser contra a CPMF antes e a favor agora, ainda sai desqualificando a profundidade e atualidade do Manifesto Comunista que completa 160 anos em 2008, ainda sendo uma grande referência para os que não desistem da luta.

Para os que por outro lado só esperam um momento pra ser "o oposto do que disse antes", vale a referência musical do grande Raul Seixas:

sábado, 1 de dezembro de 2007

Venezuela: Votar "NÃO" em defesa da soberania e dos trabalhadores

Neste domingo, dia 2, o povo venezuelano estará indo às urnas para referendar ou não as reformas constitucionais de Hugo Chavez. Nos últimos dias temos visto de um lado muitos conflitos de rua e de outro muita progadanda chavista e até "planos da CIA" para derrubar Chavez caso o "Si" seja vitorioso.

Esta semana, Cesar Neto e Leonardo Aranes da UST (Unidade Socialista dos Trabalhadores) fizeram divulgar um texto que se afastando da mera propaganda pró e anti-chavista mostra as implicações diretas da aprovação da reforma chavista.

O texto começa assim:
"Há uma falsa polarização entre a oposição burguesa e o chavismo. Já estamos fartos da oposição burguesa com seu discurso de que o chavismo está transformando o país numa nova Cuba, de que querem abolir a propriedade privada, que o comunismo, que isso, que aquilo. Na realidade, o que preocupa a oposição burguesa no fundo é: quando poderemos nos sentar na cadeira presidencial, uma vez que o artigo 230 amplia o mandato presidencial para sete anos e permite a reeleição indefinida?

Os chavistas respondem dizendo que agora haverá mais poder para o povo, que a redução da jornada de trabalho..., que estamos avançando rumo ao socialismo, etc.

Nós, que somos parte da Unidade Socialista dos Trabalhadores, não acreditamos no que diz a oposição burguesa. Primeiro por seu caráter de classe e segundo porque eles, de conteúdo, estão de acordo com a reforma chavista, menos no que se refere à possibilidade de chegar à cadeira de Miraflores (sede do governo da Venezuela).

Com relação ao chavismo, entendemos que esta reforma, ao contrário do que se diz, não é antiimperialista. É burguesa e ao mesmo tempo aprofunda o caráter bonapartista do governo de Hugo Chávez. Para nós, o centro do debate está em se a Venezuela avança ou não no sentido de se transformar em um estado socialista, como dizem os chavistas."
Leia todo o texto da UST em português no portal do PSTU ou o original em espanhol no portal da LIT.

CPMF de Natal

Jean
S Salvador
Zope
Humberto

Lula na favela

Lute

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Somos um país desenvolvido?



A ONU divulgou o novo ranking mundial de IDH (Índice de Desenvolvimento Humano). Segundo o novo ranking, o Brasil tem IDH de 0,80, o que o faria entrar no grupo dos "países desenvolvidos".

Obviamente, Lula comemorou, e em mais um arroubo messiânico, se sentiu o "enviado de Deus". Provavelmente, essa estatística servirá de motivo de intensa propaganda do governo. Claro que Lula ignorou o fato de que o Brasil caiu uma posição no ranking mundial, indo da 69ª para a 70ª posição. E o governo jamais irá citar o fato de que o Brasil está atrás, na América Latina, de Argentina, Chile, Uruguai, Costa Rica, Cuba, México e Panamá. Além de estar atrás de Malásia, Omã, Bósnia, Albânia, Macedônia e Rússia.

Mas no mesmo dia da divulgação do ranking do IDH, uma outra notícia veio melar a festa do governo, e nos trazer de volta à realidade: foi divulgado também um estudo da FGV (Fundação Getúlio Vargas) que mostrou que mais da metade da população brasileira não tem acesso a rede de água e esgotos. Segundo o estudo, se for mantido o ritmo de tartaruga em que o país vem expandindo sua rede de saneamento básico, só chegará à universalização do serviço, em 100% dos domicilios, daqui a 115 anos, no ano de 2122.

Junto ao estudo da FGV, foi divulgado outro, da ONG Trata Brasil, que mostrou as consequências genocidas da falta de saneamento básico. Segundo o estudo, "a chance de uma criança de um a seis anos morrer pelo fato de que não dispõe de esgoto tratado é 32% maior do que uma criança que tem acesso a serviço de esgoto".

terça-feira, 27 de novembro de 2007

Jimmy Massey: "Tenho sido um assassino psicopata"

Esse é o balanço que Jimmy Massey, 32 anos, faz de sua carreira de 12 anos dedicados aos Marines. Entre 22 de março a 15 de maio de 2003, Massey esteve no Iraque como sargento no terceiro batalhão dos marines comandando um pelotão de 45 homens. "Fui ao Iraque inicialmente com a convicção de que teríamos que eliminar as armas de destruição em massa. Contudo, logo minha experiência me fez entender que a realidade era bem diferente. Éramos “cowboys assassinos”". A bela causa da guerra contra o terror do ex-sargento começou a ruir na primeira vez em que seu pelotão, com ele à frente, abriu fogo contra as manifestações pacíficas de civis. "Banhos de sangue" como afirma Massey.

Três meses após pisar em solo iraquiano foi encaminhado de volta aos EUA por "perturbação por stress", termo usado na linguagem militar para a perda de juízo provocada pelo horror da guerra. Hoje, Jimmy Massey, é membro do grupo IVAW (Iraq Veterans Against War) e autor do livro Cowboys From Hell (Cowboys do Inferno).


No último dia 12 de novembro, o agora ativista contra a guerra do Iraque, participou da Feira de Livros de Caracas aonde deu depoimentos contundentes sobre as atrocidades cometidas pelas tropas invasoras no território iraquiano. A jornalista cubana Rosa Miriam Elizalde entrevistou Massey e o conteúdo da entrevista, que recomendo a leitura, está publicado no portal VoltaireNet.

Também no VoltaireNet é possível assistir a três videos publicados no YouTube com uma entrevista concedida à tv venezuelana, que também publicamos aqui:







Corpo a corpo pela CPMF

Junião

Lute

Brasil no grupo do "alto desenvolvimento humano"

Lute
Alecrim

Falar não é fácil

Do charges.com.


sábado, 24 de novembro de 2007

Unsubscribe-me


A Anistia Internacional está promovendo uma campanha de denúncia contra as torturas praticadas contra presos políticos, chamada unsubscribe-me. O alvo central da campanha envolve os crimes cometidos em Abu Ghraib e em Guantanamo sob o pretexto da "guerra ao terror".

No video abaixo um ator ficou 6 horas vendado e amarrado em cima de duas caixas de papelão, para poder expressar de forma mais realista uma pequena fração do sofrimento pelo qual passam as vítimas das "técnicas" de interrogação estadunidense.

sexta-feira, 23 de novembro de 2007

"Tortura tem... pero no mucho"

Em síntese essa foi a resposta do governo Lula ao recém publicado relatório da ONU sobre o sistema penitenciário brasileiro. A versão preliminar do relatório do Comitê das Nações Unidas contra Tortura afirma que “dezenas de milhares de pessoas são ainda mantidas em delegacias e em outros locais no sistema prisional onde a tortura e maus-tratos similares continuam a ‘ocorrer de forma disseminada e sistemática’”.

O relatório dá indícios também da relação racista no sistema presidiário, apontando que as condições discrimintaórias e de maus tratos afetam “em particular pessoas de descendência africana”.

Quem saiu na, digamos assim, "defesa da imagem" do sistema presidiário brasileiro foi Paulo Vannuchi, o ministro-chefe da Secretaria Especial de Direitos Humanos. Segundo o ministro, "a tortura existe no Brasil, mas não correspondente à vontade das autoridades e não é sistemática". Fica a pergunta, o quanto de tortura afinal corresponderia à vontade do governo?

E olha que essa foi a resposta do responsável pela pasta dos Direitos Humanos do governo. Tortura, seu ministro, seja no grau que for, não se tolera. E o fato, é que ela existe, dentro e fora das cadeias, e é levada adiante pelo braço armado do Estado.

"Querido papai noel, neste natal eu quero ganhar..."

Bello

Stephen Jay Gould e a religião



O paleontologista norte-americano Stephen Jay Gould é considerado um dos principais teóricos que contribuíram para o aprimoramento da Teoria da Evolução. A sua contribuição mais importante ao evolucionismo foi a teoria do Equílibrio pontuado. Gould (que sempre foi simpatizante da esquerda, e participante de manifestações), elaborou tal teoria com uma inegável influência da dialética marxista, como nota Phil Gasper no artigo "O Biólogo Dialético Stephen Jay Gould", publicado na revista Marxismo Vivo nº 6.

Quando o assunto era religião, Stephen Jay Gould sempre buscou ser cauteloso. Criado numa família judia, nunca chegou a praticar o Judaísmo. Porém, seguindo o exemplo do pai da Teoria da Evolução, Charles Darwin, Gould também não se declarava ateu. Assim como Darwin, se dizia agnóstico.

Em seu livro de 1999, "Rock of Ages", lançado no Brasil sob o título "Pilares do Tempo", Stephen Jay Gould busca apontar a possibilidade de "convivência pacífica" entre Ciência e Religião, como duas áreas distintas, porém importantes, não podendo uma ser considerada superior à outra. No interessante artigo de Reinaldo José Lopes, "A Árvore da Vida", sobre o livro de Gould, podemos ler a sensata conclusão:

"Uma conversa entre iguais - se possível, amorosa e compassiva - é a proposta de Gould, e é impossível não desejar isso como meta. A vida humana é complexa, e há espaço para mais de uma dimensão nela, insiste o autor. "

Ficha:

Pilares do Tempo
Autor: Stephen Jay Gould
188 págs.
Editora Rocco, Rio de Janeiro, 2002.

* para não restar dúvidas: Sim, esta postagem é uma resposta ao artigo “Minha avó não era macaca”: o obscurantismo criacionista , do companheiro Zé Luís dos Santos, publicada no site do PSTU. Não que eu seja criacionista, pois não creio que Deus precisasse criar o mundo em 7 dias, já que para Ele, que é eterno, 4 bilhões de anos são como 4 minutinhos para nós...

terça-feira, 20 de novembro de 2007

Tin Tin e o racismo em quadrinhos

Tin Tin é o famoso personagem criado em 1929 pelo quadrinista belga Georges Prosper Remi, vulgo Hergé. Sua primeira aparição foi na aventura "Tin Tin no país dos sovietes", em que a personagem tenta publicar um artigo que conte "a verdade" sobre o que ocorre na URSS e é perseguido por agentes da KGB.

Recentemente Tin Tin tornou-se manchete de jornais, sites e blogs mundo afora, em função de sua segunda aventura, Tin Tin no Congo, publicado pela primeira vez em 1930. O motivo? Racismo!

A organização inglesa Comissão pela Igualdade Racial (Comission for Racial Equality) classificou o livro, publicado em inglês somente em 2005, como racista e solicitou à rede de livrarias Borders que retirasse o álbum de suas estantes. Segundo um dos membros da CRE, "Este livro contém imagens e palavras de terrível preconceito racial, onde os 'nativos selvagens' se parecem com macacos e falam como imbecis". À época, o Congo era uma colônia belga, e o editor do jornal para o qual foi escrita a história solicitou a Hergé, uma aventura que ajudasse a convencer os jovens leitores belgas da validade da colonização do país africano. E lá foi Tin Tin cumprir sua missão, chegando a um país, aonde elefantes falavam muito bem entre si, mas os congoleses não. Nas páginas de Hergé, que nunca saiu da Bélgica, a colonização tornou-se praticamente um favor que os belgas fizeram aos africanos.

A história cumpriu tão bem seu papel que ao ser publicado em Portugal recebeu o nome de "Tin Tin em Angola", então colônia portuguesa. No Brasil, o álbum foi publicado com o nome "Tin Tin na África".

Na medida em que a história foi sendo republicada, recebeu novas roupagens. Em 1946, Hergé substitui as referências ao colonialismo, mantendo, porém, o esterótipo abrutalhado e ignorante dos africanos. Falecido em 1983, Hergé, justificava sua verão original como simples reprodução do pensamento predominante dos anos 30, justificativa essa utilizada por muitos fãs de Tin Tin. A essa justificativa, respondemos tal como os ativistas da CRE: "sim, ele foi escrito há muito tempo, mas isso não o torna aceitável".

Neste 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, chamamos a todos os lutadores brasileiros a afirmar com todas as letras que o racismo, sob hipótese alguma pode ser tolerado, nem mesmo em nome da "arte".

França: 20 de novembro de 2007


Trabalhadores protestam contra Sarkozy


Hugo Chavez cumprimenta Sarkozy

Essa terça-feira, 20 de novembro, foi bastante interessante na França.

De um lado, as mobilizações da classe trabalhadora, contra as reformas neoliberais do presidente Nicolas Sarkozy, atingiram um ápice. Trabalhadores de diversos setores paralisaram as atividades, se somando à greve dos transportes que já dura vários dias. O país praticamente parou. Até a distribuição dos jornais nas bancas ficou prejudicada. Um total de cerca de 700 mil pessoas participaram das passeatas em dezenas de cidades.

Ao mesmo tempo, do outro lado da barricada, o presidente venezuelano Hugo Chavez, em visita a Paris, almoçou com Sarkozy, com direito a pose para foto do aperto de mãos. A visita rendeu bons frutos para o imperialismo francês, como o anúncio do acordo do governo da Venezuela com a multinacional francesa Total Oil para a exploração de mais 400 mil barris/dia de petróleo na Faixa do Orinoco.

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Polícia invade Universidade Federal da Bahia, agride e prende estudantes

O governo quer impor o Reuni nem que seja na base da porrada. Na manhã desse dia 15, a Polícia Federal invadiu a UFBA, cuja reitoria era ocupada pelos estudantes há 46 dias, agrediu os alunos e levaram quatro pessoas presas. Os políciais invadiram a universidade às 6h30 da manhã e utilizaram gás pimenta e bombas de gás lacrimogêneo contra os estudantes.

Segundo a imprensa local, cerca de 20 estudantes ficaram feridos na ação truculenta. Como se isso não bastasse, os alunos que foram à sede da PF prestar queixa contra a ação bárbara dos policiais foram impedidos de registrarem a denúncia “por causa do feriado”. Na imagem, policiais levam estudantes presos.

O reitor Namor de Almeida Filho pediu reintegração de posse da reitoria e de “qualquer imóvel da universidade”, pois “o patrimônio público” estaria ameaçado. A ação bárbara da polícia na UFBA demonstra a escalada da violência contra o movimento estudantil. Unesp de Araraquara, Fundação Santo André, USP, PUC-SP, a lista da repressão contra os estudantes aumenta cada vez mais.

Leia também no Portal do PSTU:

PM invade PUC-SP e desocupa reitoria

Derrotar o Reuni de Lula e FMI

segunda-feira, 12 de novembro de 2007

A Globo e as “invasões” de reitoria

Estudantes entoando gritos de guerra, segurando cartazes e com narizes de palhaço ocupam a reitoria da Universidade Pessoa de Moraes, exigindo a eleição direta para reitor. Mais um novo protesto do movimento estudantil? Nada disso. Trata-se de um capítulo da novela “Duas Caras”, exibida pela rede Globo, no último dia 7.

Obviamente, a emissora mostrou a “invasão” – e não ocupação – a partir do seu ponto de vista, com um claro objetivo de jogar a opinião pública contra as OCUPAÇÕES de reitorias país a fora.

No dito capítulo, os estudantes reviram gavetas e armários, destroem livros, picham as paredes, fazem uma verdadeira baderna. Um estudante tenta jogar um ovo em Branca (dona da universidade), mas acaba acertando em Heriberto (uma espécie de vilão que manipula os estudantes). Por fim, a “baderna” faz com que Branca decida chamar a polícia para conter os estudantes. “Invasão de propriedade privada é crime!”, diz.

Não é a primeira vez que a Globo cumpre esse nefasto papel. Deturpação da realidade e manipulações é parte do manual de conduta de emissora. Mas o que esperar de uma emissora que rotulava as manifestações da “Diretas Já” como “comemorações” do aniversário de São Paulo? Mais ainda: o que dizer sobre Agnaldo Silva (autor do folhetim) que exalou todo o seu preconceito quando classificou (em seu Blog) de “elite” a população negra que recebe o Bolsa Família?

Filiação do Sismmar à Conlutas

Neste final de semana. o Sindicato dos Servidores Municipais de Maringá (Sismmar) aprovou em seu congresso a desfiliação da CUT e a filiação à Conlutas. Ambas as resoluções foram aprovadas por unanimidade. Houve apenas uma polêmica secundária, quanto ao ritmo (filiação imediata ou em assembléia especialmente convocada para esse fim). Por ampla maioria foi aprovada filiação imediata à Conlutas.

O Sismmar é um dos sindicatos mais combativos do estado do Paraná. Em 2006 enfrentou a prefeitura de Silvio Barros II (PP) em uma greve de 31 dias e sofreu duras perseguições por parte do prefeito com a demissão de 28 servidores grevistas. Hoje todos os demitidos estão reitegrados ao trabalho. Mais uma vitória do sindicalismo classista e combativo!

domingo, 11 de novembro de 2007

3ª reunião Nordeste aponta a necessidade de se fortalecer a CONLUTAS na região

Representantes das coordenações estaduais da CONLUTAS do Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte e Pernambuco, realizaram neste sábado, dia 10, a terceira reunião da CONLUTAS Nordeste. A reunião teve início com o anúncio da filiação no dia anterior, 09 de novembro, do sindicato dos trabalhadores da confecção feminina à CONLUTAS, o que foi recebido com grande aplauso de todos os presentes.

Pelo turno da manhã o debate envolveu conjuntura e o balanço da marcha do dia 24 e pela tarde, informes regionais e a organização da CONLUTAS da Região. À exceção dos agrupamentos ultra-esquerdistas, LBI e POR, a avaliação de todos os presentes é que a marcha foi uma vitória que coroou o conjunto das lutas e manifestações impulsionadas pela CONLUTAS durante todo o ano de 2007. Fábio José, do PSTU cearense, ressaltou que a marcha fortaleceu as lutas e que as ocupações de reitoria são a prova irrefutável disto. Pela CONLUTE, falou o companheiro Pádua do centro acadêmico de História da UFC que relatou a experiência dos treze dias de ocupação da reitoria da UFC, o quanto a marcha fortaleceu os ocupantes e o apoio inestimável do ANDES e da CONLUTAS durante a ocupação. Reginaldo, de Limoeiro do Norte, falou sobre a importância de se cobrar balanço das direções do MST que poderiam ter ajudado a dobrar o número de presentes na marcha e avançar assim na luta contra as reformas neoliberais de Lula, em especial, a famigerada reforma da previdência.

Muitos informes das lutas nas regiões foram apresentados pelas delegações. No Ceará, as universidades estaduais UECE e URCA entram em greve a partir desta segunda-feira. No Rio Grande do Norte, a viotoriosa greve dos agente de saúde de Mossoró, que durou 30 dias, foi coberta de solidariedade pela CONLUTAS. Também no Rio Grande do Norte, a CONLUTAS teve papel fundamental da greve da polícia militar. Além das lutas, pôde-se perceber o apoio fundamental que se vem dando às oposições sindicais por todos os estados nordestino. Cresce a CONLUTAS no Nordeste, e com ela crescem também suas responsabilidades.

Infelizmente a reunião ocorreu sem a paricipação do companheiro Mancha que teve de desmarcar sua viagem de última hora por razões de saúde. Além da ausência de Mancha muito sentida também foi a ausência de delegações importantes como Bahia, Alagoas, Sergipe e Paraíba, o que sem dúvida alguma, reforçou ainda mais a necessidade de se avançar em um nível de organização ainda maior da CONLUTAS no Nordeste.

Para ver: Álbum online com as fotos do evento.

sexta-feira, 9 de novembro de 2007

Reunião da Conlutas Nordeste em Fortaleza

Neste sábado, dia 10 de novembro, ocorrerá a reunião da Conlutas Nordeste em Fortaleza, com a participação de sindicatos, oposições e movimentos de toda a região. A reunião contará também com a participação do companheiro Luis Carlos Prates, o Mancha. Estaremos lá registrando fotos, gravando videos, entrevistando as delegações e assim que possível estaremos arremessando aqui no nosso Molotov.

Aos fortalezenses que se interessarem em participar, o evento será no Centro de Humanidades da Universidade Estadual do Ceará (UECE) na Avenida Luciano Carneiro, a partir das 09 da manhã.

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

Protesto contra Pacote reúne 4 mil no Rio Grande do Sul

Os gaúchos fizeram, ontem, uma paralisação estadual contra o "pacotão" da governadora Yeda Crusius (PSDB). Segundo a Agência Chasque, teve ato no palácio do governo e liberação de pedágio no interior. Leia, abaixo, a notícia da Chasque.


Cerca de QUATRO MIL pessoas participaram ONTEM dos protestos contra o Pacote Econômico da governadora YEDA CRUSIUS, organizados por sindicatos e movimentos sociais./ Na Capital, quase DUAS MIL pessoas marcharam pelo centro./ Também realizaram um ato público em frente ao Palácio Piratini e pediram ao presidente da Assembléia Legislativa, FREDERICO ANTUNES, que os deputados não aprovem o plano./ No interior, protestos ocorreram em Caxias do Sul, Pelotas, Santa Maria, Santa Cruz do Sul, Santana do Livramento e Palmeira das Missões, entre outras regiões./ Em Venâncio Aires, manifestantes liberaram por DUAS horas uma praça de pedágio./ Os sindicalistas, entre eles a Central Única dos Trabalhadores, a Conlutas e a Intersindical, avaliam que o aumento de ICMS proposto no Pacote pode reduzir os empregos no Estado.///

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Justiça concede liminar de reintegração de posse da reitoria da PUC

A reitoria da PUC pediu e a Justiça acaba de conceder uma liminar de reintegração de posse do prédio ocupado pelos estudantes desde o dia 5. O despacho do Juiz Felipe de Melo Franco, da 24ª Vara Civil de São Paulo, autoriza o uso da força para retirar os estudantes, inclusive durante o período noturno.

Apesar da disposição dos estudantes de abrirem diálogo, a reitoria mantém-se intransigente. Na tarde de hoje, dia 7, funcionários colaram uma notificação extrajudicial na porta da ocupação. Mesmo assim, por volta das 16 horas, os alunos ocupados entregaram uma pauta de reivindicações a duas funcionárias que falavam em nome da direção da universidade.

Os estudantes lutam contra o chamado “Redesenho Institucional”, medida imposta de forma autoritária pela reitoria que, entre outros pontos, diminui a democracia, aumenta a centralização nas decisões dos cursos e avança na lógica mercadológica da universidade.

Funcionários e professores ameaçam com greve caso a reintegração seja realmente efetivada. Alunos, docentes e funcionários estão mobilizados e contam com a solidariedade de diversos setores, como advogados, intelectuais e dos movimentos sociais.

Feliz 7 de Novembro!



Hoje, 7 de novembro de 2007, a Revolução Russa está completando exatamente 90 anos.

A Revolução de Outubro foi na verdade em novembro, pelo calendário ocidental. A Rússia na época utilizava o calendário juliano, e por isso para eles ainda era outubro...

Em 7 de novembro de 1917, a Rússia acordou com Todo o Poder nas mãos dos Soviets operários!

Outubro ou novembro, o que importa é que hoje é um dia muito importante para todos os revolucionários do mundo, que ainda acreditam que a tomada do poder pela classe trabalhadora é um sonho possível. E a Revolução Russa será sempre o exemplo inspirador.

terça-feira, 6 de novembro de 2007

Mínimo e máximo em charges


Lane

Lute

O mínimo dos trabalhadores é mísero, já o lucro dos banqueiros...

Sempre que Itaú e Bradesco anunciam seus lucros, o bordão lulista "Nunca na história desse país" ganha novos tons e cores.

Mal o Bradesco anunciara o maior lucro entre bancos dos últimos 20 anos, vêm o Itaú e anuncia que seu lucro em 9 meses supera lucro anual de qualquer banco no Brasil.

Se depender dos banqueiros, Lula pode ter quantos mandatos for possível imaginar.

Salário mínimo dividido por 4.7 igual a salário mísero

O DIEESE divulgou a atualização do valor necessário do salário mínimo para que o mesmo possa cumprir os preceitos da constituição burguesa de 1988: R$ 1.797,56. O equivalente a 4.7 vezes o valor nominal do atual salário mínimo.

Acesse aqui os valores mês a mês do salário mínimo divulgados pelo DIEESE.

Leia o manifesto dos estudantes ocupados na PUC

Leia abaixo o manifesto divulgado pelos estudantes que ocuparam a reitoria da PUC na noite desse dia 5, segunda-feira:


MANIFESTO DOS ESTUDANTES OCUPADOS NA REITORIA DA PUC-SP

Ocupamos a Reitoria nesta noite como forma de protesto pela maneira com a qual o Redesenho Institucional, demissões e bolsas vem sendo tratadas nesta universidade. O verticalismo burocrático tem mantido toda a comunidade puquiana à margem de um dos mais importantes processos pelo qual essa universidade já passou. Nós, os estudantes, seguidamente pagamos o pato das políticas desastradas da gerontocracia universitária. Basta! Não aceitaremos a intervenção da tropa de choque neste ato político, como é costume dos poderosos da burocracia universitária. Basta! Não ficaremos calados, conforme é a vontade dos de cima. Basta! Democracia se faz de forma direta, sem conselhos de fantoches, sorrisos e bocas. Basta de laboratórios picaretas e mensalidades altas. Realmente, do alto do castelo, a vista é linda.

Quem sabe o que é o Redesenho? Estamos aqui para debater com cada estudante, de portas abertas, para construir opiniões e consensos. Sim, a Reitoria da PUC-SP não é mais um claustro, à mando da Santíssima Trindade (Pai, Cúria, Bradesco Santo).

O movimento estudantil da PUC não consentirá com tais medidas arbitrárias. Propomos pelo momento:

- Só haverá negociação mediante o resultado das assembléias de curso e com a garantia de não haver nenhuma forma de repressão tanto pela Graber quanto pela polícia.
- Anulação do Processo de Redesenho Institucional. Por um processo realmente democrático, construído pela comunidade.
- Pela revogação da atual política de bolsas que impede os primeiranistas de terem acesso à universidade. Queremos bolsas que atendam as reais necessidades dos estudantes e que a abertura deste novo edital se dê mediante à participação dos estudantes.
- Nenhuma demissão de professores e funcionários. Chega de demissões!
- Nenhuma punição aos estudantes ocupados. Choque então, nem pensar.
- Solidariedade as demais ocupações em todo o Brasil. A nossa luta é uma só!
Amanhã acontecerão assembléias por toda a universidade para discutir as demandas especificas de cada curso frente ao processo de Redesenho.

NÃO PASSARÃO
Estudantes ocupados da Reitoria da PUC-SP

Acesse o Blog da Ocupação

segunda-feira, 5 de novembro de 2007

Estudantes ocupam reitoria da PUC-SP

Estudantes ocuparam na noite do dia 5 de novembro a reitoria da PUC em São Paulo, uma das mais tradicionais universidades do país. Os alunos protestam contra o chamado “Redesenho Institucional”, projeto implementado a toque de caixa pela direção da universidade que os estudantes estão chamando de “Reuni” da PUC.

O Redesenho Institucional impõe uma “flexibilização” da gestão universitária, aumentando a centralização das decisões, diminuindo a democracia e acabando com a autonomia dos cursos. O projeto aumenta ainda a burocracia da universidade e impõe uma lógica de mercado aos cursos, privilegiando as carreiras “lucrativas”.

A direção da PUC promoveu uma audiência pública na noite do dia 5, no Tuca, tradicional teatro da universidade. Porém, o que era para ser uma discussão sobre o projeto se transformou num ato pró-Redesenho, com o impedimento das falas contrárias à medida. Centenas de estudantes se concentraram na saída do teatro e realizaram uma assembléia emergencial na qual decidiram pela ocupação da reitoria.

Após a ocupação, os estudantes realizaram nova assembléia no salão nobre da reitoria. A principal reivindicação é contra o projeto de Redesenho Institucional, porém, os alunos também deliberam suas pautas específicas, a fim de negociar com a direção da universidade.

Atualização 0h35: Informações dão conta que viaturas do GOE (Grupo de Operações Especiais) da Polícia Civil chegaram ao local. Os policiais estariam preparando bombas de gás. Os estudantes organizam uma comissão para negociar.

"Ele voltou"


Lute
Sinfrônio
Junião

Portal do PSTU está de volta!

Para quem andou acessando direto o blog desde o final de semana e ainda não arriscou acessar nosso portal, vai a notícia: estamos de volta! :)

Ocupação da Unirio começa a sofrer represálias

O camarada Thiago Baptista, do Rio de Janeiro, é militante do PSTU e estudante de Licenciatura em Música na Unirio. Ele enviou alguns informes sobre a ocupação da reitoria da universidade, que permanece desde o dia 25 de outubro. O motivo? O mesmo que está mobilizando estudantes do país inteiro: lutar contra o Reuni de Lula, que vai privatizar e precarizar ainda mais o ensino superior público. Abaixo, reproduzimos os informes do Companheiro. Valeu, Thiago!


Salve, companheirada!

Como em todas as federais do país, na Unirio, o Reuni foi aprovado na calada da noite, sem nenhuma discussão com os estudantes, que, em sua maioria, foram pegos de surpresa, sem saber que existia este tal decreto.

Até agora, a postura da reitora Malvina Tuttman – que também é presidente da Andifes (Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior), a associação dos reitores – foi demagógica, dizendo que “entendia a posição dos alunos” e que achava “legitima” nossa mobilização. Alguns assessores dela até disseram que ‘se precisássemos de alguma coisa, podíamos pedir’.

Porém, com dez dias de ocupação, o calo começou a doer... Vendo que nossa mobilização – que é a primeira deste porte na história dessa universidade, que não tem tradição de Movimento Estudantil – não pára de ganhar força, algumas atitudes repressivas começam a ser tomadas.

Neste final de semana prolongado, de 2 a 4 de novembro, por exemplo, a entrada de pessoas no
campus onde se localiza a reitoria foi proibida das 23h de quinta-feira até amanhã, segunda-feira, às 6h, com a desculpa de manter a segurança do patrimônio público. Na prática, isso fez com que nós ficássemos esses dias presos aqui na reitoria, pois se saíssemos não poderíamos retornar!

Além disso, como estamos ocupando os dois andares do prédio da reitoria – onde funciona toda a burocracia da universidade –, a reitoria faz chantagem conosco, dizendo que estamos prejudicando os alunos, que por conta de nossa ocupação deixam de receber bolsas ou diplomas.

Não bastasse isso, alguns professores ligados à reitoria – com o mesmo discurso demagógico – começam a se dizer “preocupados com nossa segurança”, uma vez que é possível que logo haja um pedido de reintegração de posse do prédio.

Essa mudança de postura só pode ter um motivo: estamos sendo vitoriosos! Estamos conseguindo levar o debate do Reuni para o conjunto dos estudantes, e o Movimento Estudantil da Unirio está cada vez mais fortalecido. E vamos até o fim para barrar o Reuni e derrotar essa reitoria demagógica cujo único compromisso é com o governo federal!

Bem, é isso, minha gente. Saudações revolucionárias!

Thiago Baptista

domingo, 4 de novembro de 2007

O que foi cantado no Encontro

I ENCONTRO NACIONAL DE NEGROS E NEGRAS DA CONLUTAS

Animado do início ao fim, o Encontro de Negros e Negras não poderia estar completo se não tivessem as várias palavras-de-ordem cantadas pelos participantes. Abaixo, reproduzimos algumas que dão o tom dessa grande reunião de raça e de classe. E, é certo, a disposição dos cerca de 600 ativistas para continuar essa luta!

Pintura de Candido Portinari“Sou resistente
Eu sou de Luta!
GT de Negros da Conlutas!”

“Sou quilombola
Eu sou de Luta!
To construindo a Conlutas!”

“Eu sou negro, trabalhador!
Declaro guerra ao opressor!”

“Eu não sou miss, nem avião
Minha beleza não tem padrão!”

“Brasil, África, América Central
A luta do negro é internacional!”

“Olê, Olê, Olê Olá,
Contra o racismo e a exploração
Trabalhador vai fazer revolução!”


“Sou negro trabalhador
Movimento unificado pra acabar com o opressor”

“Chega de morte e caveirão
Eu quero teto, saúde e educação!”


Atualizada em 5/11/2007, às 16h45.

PSTU promove debate sobre o Haiti no Encontro

I ENCONTRO NACIONAL DE NEGROS E NEGRAS DA CONLUTAS

Yara Fernandes, direto de São Gonçalo (RJ)

No início da noite de 3 de novembro, após acaloradas discussões nos grupos temáticos do Encontro, o PSTU convidou os participantes para o debate Haiti: a revolução e a luta contra a ocupação. A grande maioria dos delegados ao encontro compareceu.

Na mesa estavam Eduardo Almeida, da direção nacional do PSTU e integrante da caravana da Conlutas que foi ao Haiti em julho, Dayse Oliveira, da Secretaria de Negros e Negras do PSTU e também parte da caravana, e Wilson Silva, da Secretaria de Negros e Negras do PSTU.

Edu afirmou que o encontro “dá muito orgulho de ser negro. Este orgulho de ser negro foi também o que sentimos quando fomos ao Haiti, porque conhecemos o Haiti rebelde”. Por outro lado, ele conta que “deu vergonha de ser brasileiro, de ver as bandeiras brasileiras hasteadas nos tanques da ONU”.

Ele contou a história do Haiti. Lembrou que o Haiti é o único país que realizou uma revolução de escravos vitoriosa, que sofreu e resistiu a várias ocupações imperialistas. Desde 1986, quando houve a derrubada da ditadura no país, a burguesia não consegue estabilizar o estado burguês. Por isso, o imperialismo mantém a ocupação do país, liderada pelas tropas brasileiras.

Edu denunciou a situação de colônia do Haiti atualmente, “ocupado militarmente e com um plano econômico brutal imposto”. Falou sobre a Lei HOPE, que é uma espécie de Alca entre EUA e Haiti. Ao final, ele recolocou a necessidade de reforçar a campanha pela retirada das tropas.

Raça e Classe
Wilson falou sobre a importância do Encontro, que também é fruto da reorganização do movimento no Brasil. Disse que “a única forma de lutar de forma conseqüente contra o racismo é lutar contra o sistema que dele se alimenta. A maior revolta das autoridades da época em relação ao Quilombo dos Palmares é que dentro do quilombo tudo era de todos e nada era de ninguém. Esta é a sociedade que queremos”.

Wilson concluiu convidando os presentes ao encontro a virem conhecer o PSTU e sua secretaria de negros e negras, fazerem a experiência com o partido.

Dayse lembrou a participação das mulheres negras nas lutas revolucionárias, como Atetirene, que fundou o Quilombo de Palmares, ou a Revolta da Chibata que teve a participação de mulheres negras empregadas domésticas. “No Haiti, me encantou ver entre os revolucionários a figura de Janith. E ver também hoje a quantidade de mulheres dirigentes no Haiti”.

O PSTU teve participação importante neste encontro. Realizou este debate sobre o Haiti, vendeu muitos jornais, cuja última edição traz matéria sobre o Encontro e cobertura da marcha a Brasília, montou uma banca de materiais, livros, camisetas. Os militantes do partido levaram em suas camisetas o adesivo do PSTU.


Caravana ao Haiti, julho de 2007 / Agência Cromafoto

Rimas da libertação

I ENCONTRO NACIONAL DE NEGROS E NEGRAS DA CONLUTAS

O hip hop marcou presença no Encontro. Dentre as atrações, teve o show com o rapper Gas-PA, militante e fundador do grupo LUTARMADA. O grupo é um movimento de hip hop que reúne vários grupos e artistas. Como disse Gas-PA, o grupo é "um coletivo de trabalho político". Publicamos, abaixo, a letra da Música Rimas da libertação.


Rimas da libertação

Brotando do chão da periferia
A indignação se transforma em poesia
Que desvenda os olhos
E destapa os ouvidos
Pra fatos esquecidos ou que estavam escondidos
Como a guerrilha do Araguaia no regime militar
Pedaço da nossa história que a imprensa não pôde contar
Hass Sobrinho, Osvaldão, Elza Monerat
Quando ouvir nosso som você vai se lembrar
Dos pretos estadunidenses
No instante seguinte
Ao assassinato do pastor Martin Luther King
Vai lembrar do seqüestro do embaixador suíço
Trocado por 70 presos políticos
Dos quartéis, dos presídios direto pro exílio
E no Chile de Allende foram acolhidos
Obra assinada pela VPR de Lamarca, companheiro de Iara Iavelberg
Vai lembrar de Conselheiro defendendo Canudos
E do verdadeiro MR8 de outubro
Dos versos de Gil Scott-Heron e de Zé Ramalho
Esse som reverencia Apolônio de Carvalho
No Brasil e na Europa, exemplo de conduta
Mais de 60 anos dedicados à luta

Revolução! Se liga, sangue bom
Com criatividade e indignação
Revolução! Se liga, sangue bom
Vou rimando e com a rima buscando a libertação

– Abaixo a ditadura
Última frase dita por Zequinha antes de acabarem com a sua vida
Ele morreu por mim, por você, por todos nós
Esse rap é pra fazer ecoar a sua voz
Pra espalhar pro mundo o exemplo da Comuna de Oaxaca
É o poder popular no país de Zapata
Como o povo de Caracas que dos morros descia
E abortava um golpe de Estado que ainda nascia
Imagine só 30 pretos armados
Ocupando a assembléia do Estado
Da Califórnia, pra garantir o direito à autodefesa
Esse som é pra fazer lembrar dos Panteras Pretas
E de Ho Chi Mihn comandando no Vietnã
A guerra de guerrilhas que humilhou o Tio Sam
Esse rap é um resgate, é pra que ninguém se esqueça
De Gregório Bezerra e da Revolta dos Malês, de 2006, dia 8 de março
Laboratório da Aracruz, tudo em pedaços
Lá se foi pro espaço 20 anos de pesquisa
E viva a mulherada da Via Campesina
Revolução! Se liga, sangue bom
Com criatividade e indignação
Revolução! Se liga, sangue bom
Vou rimando e com a rima buscando a libertação

Aliança do balanço com a vontade de mudança
Quem escuta o nosso som raciocina enquanto dança
Quero que esse rap invada as vielas
Ecoando o grito de libertação de Marighella
Que soe em defesa das nossas comunidades
Como Zumbi defendeu o Quilombo dos Palmares
Que invada os lares dos milionários
Como o Movimento Revolucionário Tupac Amaro
Fazendo refém diplomatas do mundo inteiro
Exigindo em troca a liberdade de seus companheiros
Que venha na lembrança atos de rebeldia
Enquanto você dança e ouve a minha poesia
Sobre Les Marrons e a revolta dos escravos
Libertando o Haiti em 1804
Minhas rimas são documentos subversivos
Traduzindo a luta de Banto Steve Biko
A batalha diária do povo palestino
A luta anti-imperialista de Sandino
Que seja o hino da luta anti-capital
Que seja feminino, masculino e plural.

Revolução! Se liga, sangue bom
Com criatividade e indignação
Revolução! Se liga, sangue bom
Vou rimando e com a rima buscando a libertação

Hip Hop está no encontro

I ENCONTRO NACIONAL DE NEGROS E NEGRAS DA CONLUTAS

As noites do encontro foram bastante animadas, com diversas apresentações musicais. E ao lado do samba e do raggae, estava o hip hop. Gas-PA e Mimil formam juntos o grupo O levante, que é parte do Coletivo de hip hop LUTARMADA e apresentou seu rap na primeira noite do Encontro. O CD d’O levante está sendo vendido durante o encontro. Gas-PA falou ao Portal do PSTU sobre seu grupo e sobre a importância do encontro. Leia, abaixo, a entrevista feita por Yara Fernandes.

Portal do PSTU – Qual a importância de participar deste encontro?
Gas-PA –
É a gente estar junto na luta da população preta numa perspectiva classista. No momento em que a parcela majoritária das organizações do povo preto estão atreladas ao poder, rebaixando sua política em função da dependência das instituições do poder, é legal buscar se unir com o pessoal que não tem esse atrelamento.

O que é o coletivo LUTARMADA?
O LUTARMADA não é um grupo de rap, como as pessoas acham. É um grupo de grupos. Eu sou do grupo O levante, mas tem outros grupos, tem o 2-Black, que vai cantar aqui hoje (03/11), tem grafiteiros, DJs. O LUTARMADA é um coletivo de trabalho político.

Fale um pouco sobre as três músicas que vocês cantaram no Encontro.
Bonde da Revolução é um convite para toda a classe trabalhadora, que esteja vendendo ou não sua força de trabalho, e os oprimidos de toda forma, se juntarem para fazer revolução. Cotidiano do desempregado é uma música cantada em primeira pessoa e trata de todos os conflitos, idéias ruins, questionamentos, de quem está excluído do mercado de trabalho. A terceira, Rimas da libertação é o resgate de várias lutas e vários lutadores da história do mundo inteiro.

O que você espera que este encontro tenha como resultado?
Minimamente uma linha unitária de luta, o que seria muito promissor, já que a gente tem aqui muitos militantes de várias regiões do país.

Grupos debateram conjuntura nacional

I ENCONTRO NACIONAL DE NEGROS E NEGRAS DA CONLUTAS

Yara Fernades, direto de São Gonçalo (RJ)

Depois de uma abertura em grande estilo, com apresentações culturais e falas de diversas organizações e entidades, o período da tarde do primeiro dia do Encontro Nacional de Negros e Negras foi reservado para o debate de conjuntura.

Houve um painel inicial, apresentado por Zé Maria de Almeida, que avaliou os ataques do governo dos últimos anos, a traição da CUT e o processo de reorganização que se deu no movimento sindical brasileiro que possibilitou o surgimento da Conlutas.

Depois, as três teses inscritas ao Encontro foram apresentadas. Os delegados já haviam recebido o caderno de teses ao se credenciarem. A tese “Hora de Lutar”, do Coletivo Comunista Internacionalista, foi apresentada por Edmilson, e a tese “Construindo a Conlutas como uma ferramenta de luta revolucionária para o povo negro”, do MTL-RJ, foi apresentada por Julinho.

A tese “Uma luta de raça e classe” foi apresentada por Elias, que ressaltou que “o binômio Raça e Classe não é só para dias de festas, é para ser usado como método de luta contra a exploração e a opressão”.

Após a apresentação das teses, os participantes do evento se dividiram em grupos de discussão, cujo único tema foi conjuntura. Os principais debates foram sobre a relação entre os ataques neoliberais e a situação dos negros e negras trabalhadores.

“Toda a política de reformas, de retirada de direitos, atinge todos os trabalhadores, mas a nós muito mais. A política de Lula não pode atender aos interesses do povo negro e da classe trabalhadora, pois Lula está comprometido com os nossos algozes”, disse Elias.

“Não vamos aceitar o fim do direito de greve. Não vamos aceitar as reformas trabalhista e da Previdência. E não vamos aceitar a chacina do povo negro”, disse Geraldinho, da Oposição Alternativa da Apeoesp, nos grupos de discussão.

No final do primeiro dia de Encontro teve muito samba ao vivo para animar as delegações.

A necessidade de um novo movimento negro

Dayse Oliveira e Wilson Silva, da Secretaria de Negros e Negras do PSTU

O Encontro está discutindo a conjuntura política e temas como reparações, educação, saúde, a luta contra as reformas, cultura afro-brasileira (religiões, capoeira e arte), mulheres negras, movimentos sem-terra, sem-teto e de comunidades quilombolas, violência e juventude negra. No dia de hoje, 4 de novembro, último dia do encontro, está acontecendo uma plenária em que serão votados o programa e um plano de lutas.

Uma das idéias que será discutida no encontro é a de formar um novo movimento negro, com este conteúdo classista, socialista e de oposição ao governo, que possa disputar concretamente as lutas cotidianas com os movimentos governistas. Algo que, para nós, Negras e Negros do PSTU, pode e deve ser um passo fundamental para apresentar uma perspectiva de raça e classe para o movimento.

Imagens do Encontro de Negros e Negras