segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

O chavismo fez mais uma vítima

É com imenso pesar que constatamos que o chavismo fez mais uma vítima.

James Petras, professor socialista estadunidense que participou de vários atos no Brasil em conjunto com o PSTU, chegando a apoiar a candidatura à presidência de José Maria de Almeida em 2002 e a participar do ato de fundação da CONLUTAS, já vinha dando sinais de estar em estado acelerado de infecção ideológica pelo chavismo. Tal infecção em um de seus mais altos graus, leva o enfermo a acusar a todos de contra-revolucionários.

No último dia 3, Petras, pelo qual sempre tivemos imenso respeito, chegou ao fundo do poço do chavismo. Em entrevista à Efraín Chury Iribarne da Rádio Centenário CX36 do Uruguai, o professor acusou o PSTU de associar-se à forças contra-revolucionárias venezuelanas financiadas pela CIA. O conteúdo completo da entrevista pode ser lido no portal La Haine.

Sentimos muito professor Petras pelo que o chavismo fez ao senhor. Esperamos que a luta de classes possa fazer recobrar-lhe a saúde. Infelizmente os sintomas relacionados à calúnia e à mentira, nos dão provas do contrário.

Leia no portal: Carta Aberta a James Petras, dos companheiros Eduardo Almeida e José Maria de Almeida.

8 comentários:

Nem chavista, nem trotsquista, nem nenhum ista. Sou eu mesmo disse...

Mas então o PSTU tá contaminado pelo "chavismo" faz tempo. Eta organização que gosta que acusar os outros de "contra-revolucinários"! E agora estão nessa polêmica com o Petras! oH, céus!

Incendiário disse...

Relendo após seu comentário percebi que a redação não ficou tão boa.

Deveria ter colocado ao invés de chamar a todos de contra-revolucionários, algo como, se agarrar nos métodos stalinistas da falsificação para provar que quem não está Chavez é contra-revolucionário.

Anônimo disse...

Então, imagino o quanto seria interessante ao todos os chavistas, fazer o exercício de olhar para o povo venezuelano (inclusive, observar materialmente) e exigir de Chaves. E não olhar para H. Chaves e exigir dos trabalhadores venezuelanos.

marco disse...

O mais bacana é que a turma da esquerda nem comenta os assuntos relacionados ao Brasil!

Seria uma vergonha pelo que um dos partidos de esquerda do Brasil esta fazendo no comando da Nação ??

Parece que o Chapolim é mais importante !

Se bem que pelo visto a assinatura de Dom Mulla I o cappo conivente e R$ 1,50 compram café em qualquer copo sujo.

Wellington Barros disse...

Sempre fui simpatizante do PSTU, agora apoiar a direita anticomunista da venezuela é delírio político em alto grau. Que decepção PSTU!!

Anônimo disse...

Quem é que anda apoiando a direita anticomunista da Venezuela? O Wellington Barros? Deve ser...

Anônimo disse...

ih cadê o ebo?
vim procurar o "outro lado"
e nada
as coisas acontecendo na bolivia
e vcs preocupados c/ 1 americanu
quem é esse cara?
q importância tem?

Poesia e Luta disse...

é engraçado o grau de confusão que governos como o de Chavez e outros causam, na esquerda e na direita, primeiro o fato de o PSTU ter apoiado o não, não significa que apois "a direita anticomunista da venezuela". O PSTU acertou em defender o não, e essa clareza é fundamental pra compreender que não está junto do Imperialismo, mesmo qd por forças circunstânciais, se apoia o mesmo voto num plebiscito.