sábado, 30 de julho de 2011

Capitão América? (charge)

Duke

Blogosfera ocupada: Filmes políticos


Procurando por algum filme político? Queria assistir "Eles não usam black-tie", "Caminho para Guantanamo", "Linha de montagem", "A batalha do Chile" ou "O Encouraçado Potemkin" e não sabia onde procurar? Pois o blog "Filmes Políticos" já na blogosfera desde 2009 é uma excelente referência para fazer aquele download tão procurado. Com certeza vale a pena a visita.

Clique aqui e divirta-se.

31 de julho é dia de beijaço da ANEL em Recife. Veja o video e participe.

O PSTU também foi à cerimônia de sorteio dos grupos da Copa 2014 no Rio de Janeiro

Olha a gente aí.

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Veja video em que o presidente do IBAMA admite fazer com os povos do Xingu o que foi feito com os arborígenes da Austrália

O video a seguir foi montado a partir de um trecho da entrevista concedida por Kurt Trennepohl, atual presidente do Ibama, para o programa 60 minutos da Austrália. É sem dúvida muito esclarecedor.



* Munição deste arremesso obtida diretamente do blog Lingua Ferina

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Waldemar Rossi: Herança bendita ou...


O Correio da Cidadania publicou artigo de Waldemar Rossi abordando o tema da relação entre os governos Lula e Dilma levando em consideração às "alianças para governar" herdadas do antigo governo. Passados seis meses do governo é sempre importante acompanhar as avaliações de quadros importantes como Rossi. Segue o artigo:
Herança bendita ou...

A campanha eleitoral de 2010 para a presidência da República foi patrocinada pelo então presidente Lula. Indicou e bancou Dilma Rousseff, e com sucesso. Após a proclamação da vitória da petista, corria à boca pequena, nos meios petistas, que Dilma receberia uma herança bendita, uma forma de contrapor à campanha de 2002, vencida por Lula, cujo legado para a direção do país era tido como “Herança Maldita”, fruto dos descalabros de FHC.

Pois bem, Dilma, mostrando sua fidelidade ao padrinho político, bancou vários ministros (e seus subordinados) indicados (ou impostos sutilmente) por ele - pessoas da sua confiança e que fizeram parte do seu governo.

Passados menos de sete meses, Dilma vê seu governo envolto num enorme vendaval de denúncias de corrupção com a coisa pública. Como era de se esperar, passou a sofrer ataques da “oposição” política, da mídia, da base do seu partido e de parte significativa da população, principalmente de alguns movimentos organizados. Por incrível coincidência (?), todos os acusados de envolvimento com falcatruas em suas esferas de poder foram bancados por Lula.

Causa estranheza os esforços de um ministro (Gilberto Carvalho, Secretário Geral da Presidência), também bancado por Lula, em defender o retorno do diretor do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), Luiz António Pagot, afastado do cargo enquanto está em férias.

Até o momento em que escrevo este comentário, já são sete os assessores da mesma pasta demitidos por Dilma. Convém lembrar que o ex-ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento – ministério a que o Dnit está vinculado –, já havia sido demitido e substituído. A corrupção denunciada pela Controladoria Geral da União (CGU) envolve os próprios demitidos, seja pela ação direta seja pela conivência com os desvios do dinheiro público, praticados, segundo denúncias também públicas, por alguns familiares desses “servidores”.

Não causa, porém, estranheza saber que grandes empresas estão envolvidas nas denúncias de corrupção, porque já era sabido que empresas não fazem favores. Fazem investimento e querem o retorno sobre o capital investido especialmente nas campanhas eleitorais. Como nossa “Justiça” é vesga, grandes empresas, historicamente envolvidas em denúncias – muitas delas comprovadas por investigações mais sérias – não sofrem condenações e muito menos são banidas dos contratos com a gestão pública.

Até pelo contrário, as empresas mais acusadas de improbidade são as que detêm os contratos mais rentáveis, tanto com a União quanto com vários estados e prefeituras. E a mídia tem revelado tais escândalos com muita frequência. Aliás, é deprimente folhear jornais, ver ou ouvir noticiários em que prevalecem os lamentáveis fatos da criminalidade política que impera no país. E isto vai contaminando a mente e a moral do nosso povo, que já não se abala com tais novidades. Pior, a elas se acostuma, chegando a justificar os desmandos como práticas normais dos políticos. Não é por menos que o crime organizado cresce concomitantemente com a organização e evolução do crime do colarinho branco, corroendo, infelizmente, os Três Poderes da “República” em seus vários níveis.

É de se considerar a luta interna da presidente Dilma, que, imaginamos, se vê na obrigação ética de se livrar de tamanha herança nem tão bendita, considerando que está à mostra apenas a ponta desse iceberg da corrupção institucional. Não tenhamos dúvidas de que outros vendavais virão porque o sistema está apodrecido. Basta acompanhar as informações diárias dos contratos criminosos para a construção de estádios e demais obras, que visam adequar o país às “exigências” da FIFA e do COI, tendo em vista a Copa do Mundo 2014 e os Jogos Olímpicos 2016.

Enquanto esse caudaloso rio de dinheiro público é desviado para a farra financeira a serviço das grandes empresas e de dirigentes nacionais e internacionais dos “esportes”, sentimos a sangria nos orçamentos da saúde, da educação, do transporte público, do saneamento básico, da moradia popular, da reforma agrária, da preservação ambiental (das nossas matas, nascentes, biomas, da poluição sonora e atmosférica).

Nem tudo, porém, são espinhos. Felizmente estamos vendo que parte significativa da população está reagindo, ainda que com muita fragilidade. Movimentos vão se organizando, manifestações populares estão em curso, embora embrionárias. O que se pode esperar é que os esforços da minoria que jamais se rendeu ao canto da sereia do poder e da vida fácil dêem o resultado esperado. Temos esperanças também de que bons ventos vindos do movimento social europeu e norte-africano soprem suaves, mas eficazmente no Brasil.

A Esperança está mudando de curso, não mais restando na doce ilusão da fácil solução dos nossos graves problemas. Que assim seja, para felicidade do nosso povo, sobretudo das novas e futuras gerações. Porém, é indispensável que cada um faça a sua parte, se entenda como protagonista do processo das mudanças tão sonhadas por todos nós. Que já não sejamos “paus mandados” e sim mandantes.

sábado, 23 de julho de 2011

Valério Arcary na UNB (video)

Entramos de vez em uma nova era da comunicação, onde um celular com câmera e uma conta no YouTube fazem uma enorme diferença. A estudante Gleyciclerte tinha exatamente isso disponível em março deste ano e nos fez o belo favor de registrar parte da fale de Valério Arcary em uma mesa de debate em uma sala de aula na UNB. São somente 3 minutos e 20 segundos publicados, mas são três minutos muito bons. Segue o video:

Programa do PSTU com Amanda Gurgel virou notícia


O programa da última quinta-feira foi assunto nas redes sociais colocando não só a hashtag #indignados no TT do twitter como o próprio PSTU. E eis que o programa acabou virando notícia no portal Terra e no portal JB.

Sem dúvida equipe de comunicação do partido mandou muito bem na produção do video e o tema foi muito bem escolhido. Afinal o que não falta é motivo para os brasileiros ficarem #indignados.

Não assistiu ao programa? Clique aqui.

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Indignação ocupa o TT Brasil #indignados

A hashtag #indignados atingiu o primeiro lugar no TT Brasil no twittaço convocado pelo PSTU após o programa semestral do partido. Agradecimentos a todos os que atenderam ao chamado e postaram sua indigação no twitter.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Nesta quinta tem PSTU na TV e twittaço #indignados

No intervalo do Jornal Nacional desta quinta, o PSTU terá direito ao seu programa semestral em cadeia nacional quando falará sobre a situação dos trabalhadores de nosso país e do endividamento cada vez maior da nossa classe. Logo em seguida estaremos promovendo um twittaço de todos os #indignados com a situação da saúde e educação pública, com o achatamento salarial, a inflação, as longas jornadas de trabalho, e um largo etcétera.

Então não perca nosso programa e participe conosco do twittaço #indignados.

Intolerância (charge)

Cícero

"Quem é o novato?" (charge)

J.Cesar

"Dívida americana..." (charge)

Amorim

"É hora de perder a paciência"

A Companhia Estável de Teatro de São Paulo convoca a todos os trabalhadores da cultura do país a perder a paciência, exigindo dinheiro público para a arte pública. Veja o video.

terça-feira, 19 de julho de 2011

Pai e filho são agredidos porque foram confundidos com um casal gay. Veja o video.

São João da Boa Vista. Sexta-feira, 15 de junho de 2011. Durante show da Exposição Agropecuária Industrial e Comercial (EAPIC) um grupo de sete jovens se aproxima de dois homens abraçados. "Vocês são gays?", foi a pergunta. O mais velho respondeu "somos pai e filho". O grupo se afastou para em seguida retornar agredindo os dois. O pai de 42 anos, perdeu parte da orelha que teria sido arrancada em uma mordida.

Isso é a homofobia. O afeto entre pessoas do mesmo sexo não é permitido. Nem que sejam pai e filho. Veja o video.

Baixe o Adobe Flash PlayerBaixe o Adobe Flash Player

domingo, 17 de julho de 2011

E o homenageado da Fiesp é... Luis Inácio Lula da Silva


E podia ser outro? É claro que não né. Como "nunca na história desse país os empresários ganharam tanto dinheiro", nada mais justo que homenagear o responsável pelo enriquecimento exuberante dos mais ricos e pela milagrosa super-exploração da classe trabalhadora. Nesta segunda a Fiesp fará um jantar para 200 pessoas em homeagem a Lula por conta dos inenarráveis serviços prestados. Nada de se estranhar. Estranho seria se por exemplo ele recusasse tal como fez nossa camarada Amanda em relação ao prêmio do PNBE. Isso sim, seria muito, muito estranho.

* Agradecimentos a @SergimTwit pela indicação de arremesso.

Veja a saudação da ANEL ao 56º CONAD - ANDES-SN

Enquanto a UNE abre seu congresso com o Ministro da Educação, a ANEL vai ao 56º Conad do Andes/SN saudar a luta contra o novo PNE de Dilma e em defesa da aplicação imediata dos 10% do PIB para a Educação.

Mário Lago: "O dono da bola"


"Quando o Juca concordava
A garotada tomava
Conta da rua e armava
O campo de futebol.
Juca era o dono da bola.
Juca era o dono do jogo
Fazia o que bem entendia
E quando alguém discutia...
O Juca guardava a bola.
Ninguém brigava com o Juca
Juca era o dono da bola.


Na hora de escolher o time
Era o Juca quem primeiro dizia
Os meninos que queria
Pro time dele.
Se o capitão do outro time
Discordava,
O jogo nem começava.
O Juca guardava a bola.
Ninguém brigava com o Juca
Juca era o dono da bola.
 

A garotada corria
De um lado para o outro.
Dribla daqui, chuta pra lá,
Passa para ali, cabeceia prá cá...
Juca ficava sentado
O tempo todo. Mas na hora
De fazer gol se mexia.
Corria e gritava:
“Passa que quem faz gol sou eu”.
E se o outro não passava.
Ou se chutava e marcava
O gol que o Juca esperava...
O Juca guardava a bola.
Ninguém brigava com o Juca
Juca era o dono da bola.
 

Todo gol que o outro time
Fazia era anulado.
Ou tinha sido com a mão
Ou impedido. Anulado.
O Juca dava rasteira,
Canelada, cabeçada,
Aleijava a garotada
E o juiz não marcava nada.
O tranco mais delicado
Dado no Juca era pênalti
E quando alguém discordava...
O Juca guardava a bola.
Ninguém brigava com o Juca.
 

Juca era o dono da bola
Um dia o Alfredinho achou
Que aquilo era desaforo.
Driblou o primeiro, driblou o segundo,
Driblou o terceiro, o quarto...
O Juca xingou a mãe dele.
Ele meteu a mão no Juca
(A garotada ficou espantada).
O Juca avançou pra ele,
Ele tornou a dar no Juca
(A garotada ficou animada)
O Juca avançou outra vez.
Ele então jogou o Juca no chão
(A garotada foi toda em cima do Juca)

Quando Alfredinho voltou pra casa
O pai estava se queixando
Que o dinheiro que ganhava
Não chegava
pra alugar outra casa
ao menos com mais um quarto
pra botar seus nove filhos;
para comprar mais comida,
feijão pra seus nove filhos;
para comprar umas roupas
pra vestir seus nove filhos;

- Papai, por que o dinheiro
Que você ganha não chega?
- É pouco.
- Por que é pouco?
- Porque o patrão paga pouco.
- Papai por que vocês
Não pedem mais ao patrão?
- o patrão despede a gente,
A gente fica sem pão.
- Por que que o patrão despede?
- Porque ele é o dono das fábricas,
Porque ele é dono das máquinas.
- Papai,
Por que vocês
Não fazem com ele
O mesmo que nós fizemos com o Juca?
- Quem é o Juca?
- Juca era o dono da bola.
- Que foi que vocês fizeram?
- Tomamos a bola dele."

quinta-feira, 14 de julho de 2011

#EBlog: ocupando a blogosfera com inteligência

A internet é um espaço a ser ocupado. Os governistas perceberam isso há algum tempo e blog's proliferam por aí em apoio às medidas e ao governo de Dilma e antes dele, ao de Lula. Alguns com um tom um pouco mais crítico, outros posando de independente, além daqueles que puxam o saco sem a menor cerimônia. Até encontro de blogueiros auto-intitulados "progressistas" apareceu por aí. Mas recentemente algo de novo vem tomando a blogosfera. É o #EBlog.

O #EBlog como ele próprio se define é:
...um grupo de blogueir@s de esquerda, unidos ao redor das bandeiras anticapitalista, antirracismo, antihomofobia, antimachismo, feminista, ecossocialista, em defesa dos povos indígenas e quilombolas, sobretudo pelas lutas cotidianas das trabalhadoras e dos trabalhadores pela emancipação de sua classe internacionalmente, que defende uma concepção material de democracia socialista, revolucionária, de baixo para cima e feita e vivida e instaurada cotidianamente pelos de baixo, isto é, que não se restrinja à democracia capitalista liberal e sua liberdade formal e seus direitos abstratos.
Pois é, um grupo de blogueiros de esquerda resolveu dar um tom diferente na festança marrom que vem se propagando na web, e nós do Blog Molotov, que desde há cinco anos nos propomos a servir de "um ponto de apoio aos militantes dos movimentos sociais, uma referência aos revolucionários", "ocupando, produzindo e resistindo na blogosfera" não poderíamos deixar de registrar nosso apreço e concordância com a inciativa.

Abaixo, publicamos a carta-manifesto do #EBlog, que fazemos questão de assinar, nos somando às iniciativas de blogagem coletiva propostas pelo grupo. A carta é um pouquinho extensa para uma postagem em um blog, mas vale a pena ser lida.


#Eblog, muito mais que virtual: anticapitalista e libertário

Quem somos

O #Eblog é um grupo de blogueir@s de esquerda, unidos ao redor das bandeiras anticapitalista, antirracismo, antihomofobia, antimachismo, feminista, ecossocialista, em defesa dos povos indígenas e quilombolas, sobretudo pelas lutas cotidianas das trabalhadoras e dos trabalhadores pela emancipação de sua classe internacionalmente, que defende uma concepção material de democracia socialista, revolucionária, de baixo para cima e feita e vivida e instaurada cotidianamente pelos de baixo, isto é, que não se restrinja à democracia capitalista liberal e sua liberdade formal e seus direitos abstratos.

Progressismo ou anticapitalismo?

O #Eblog não se propõe ser uma associação orgânica de “blogueir@s de oposição ao governo” (embora conosco possam atuar opositores/as de esquerda ao atual governo), ou uma associação jornalística extraoficial, mas um agrupamento de lutadores e lutadoras que, reunid@s numa frente de lutas comuns, pretende ocupar e resistir no caminho abandonado por forças outrora de esquerda.

A atual guinada liberal-conservadora do Governo Dilma, sob o argumento da “correlação de forças”, está acometendo parte da blogosfera que se coloca no campo de esquerda, e que, recentemente, assumiu para si o adjetivo “progressista”. Não negamos o fato de que a política também se faz no jogo de forças entre as classes sociais, na chamada “correlação de forças”, mas é preciso reconhecer o momento em que essa expressão se torna um argumento universal para se responder a qualquer questionamento e se esquivar de todas as críticas políticas. É preciso construir projetos políticos capazes de ir além da consolidação de burocracias e aparelhos, que acabam ficando pra trás do movimento das forças sociais vivas de resistência e luta em geral.

Propomos, pois, lutar por alternativas a essas práticas políticas, colocando-nos sempre à disposição de ações de luta unificadas em favor de bandeiras políticas emancipatórias em comum que vão para além da defesa deste ou daquele governo, este ou aquele partido, e sim de emancipações inadiáveis e urgentes.


Pontes e limites

Não abrimos mão da impaciência e do combate a atual conciliação/colaboração de classes da qual é cúmplice e conivente uma maioria dos que se dizem progressistas, que, por sua vez, instauram o silêncio sobre questões essenciais em nome de um pragmatismo que já perdeu toda razão de ser. Sem perder o senso prático, questionamos: qual a correlação de forças que justifica o ataque à reputação d@s blogueir@s que se propõem defender as causas emancipatórias de esquerda, às quais os “progressistas” sistematicamente e sintomaticamente se omitem e se calam, desviando o assunto e por vezes desqualificando debatedores/as?

As pontes tem limites, não aguentam todas as intempéries e hoje estão em obras, sem data para terminar e com orçamentos sigilosos. O macartismo, o senso de ombudsman em defesa do Governo Dilma ou de Lula não é à toa, não é pessoal, não é só dos “blogueiros progressistas”: é comum em qualquer discussão com a maioria d@s apoiadores/as do atual governo. Infelizmente, isso não ocorre de modo isolado, pois tornou-se tática constante.

A coordenação dos autoproclamados “blogueiros progressistas” vem praticando um jornalismo tão vertical que até a forma de reagir às críticas tem seguido um corporativismo que remete às práticas da grande imprensa oligárquica. Telefonam uns para os outros e vão coordenando ataques de descrédito: deslegitimar a fonte, desviar a questão política para verdade/mentira, estabelecer o “fato” e a “verdade” como resultado de uma técnica específica, de certo efeito de discurso jornalístico. A campanha empreendida por alguns líderes do BlogProg contra Idelber Avelar logo após o processo eleitoral de 2010, foi sintomática e exemplar nesse sentido, acabando por reproduzir o típico denuncismo da mídia oligarca sobre o “mensalão” – que, aliás, os mesmos “progressistas” criticam! A reação corporativista dos jornalistas do BlogProg às críticas políticas parece-nos entrar no mesmo modus operandi da grande imprensa – que dizem combater, chamando-os de “Partido da imprensa Golpista – PIG” em função de constantes ataques, fruto do ódio de classe elitista, contra Lula e o Partido dos Trabalhadores, ou seja, agindo como verdadeiro “Partido da Imprensa Favorável - PIF”.

Dentre muit@s que participam dos Encontros dos Blogueiros Progressistas na esperança de construir uma alternativa, sabemos que nem tod@s adotam este posicionamento, mas entendemos também que acabam, de um modo ou outro, alinhad@s e/ou coniventes com as orientações políticas hegemônicas de sua direção. Para alguns destes “blogueiros progressistas” as dissidências e/ou a oposição de esquerda frente a linha política hegemônica (simpática ao atual governo) são tratadas como “esquerda que a direita gosta”, “psolismo”, “jogo da direita” ou “ultraesquerdismo”. Inclusive, alguns dos participantes das listas de discussão dos “progressistas” ou mesmo pelo Twitter, tratam a suas próprias dissidências com sufocamento por meio de ataques virulentos e desqualificadores.

Na realidade, percebemos que os “blogueiros progressistas” não constituem uma alternativa efetiva, mas uma mera luta de hegemonia contra a grande imprensa oligarca, enquanto proclamam ser os principais porta-vozes da democracia midiática. Esta luta acaba por cair em um maniqueísmo que em nada colabora politicamente, pelo contrário: tornam rasas as análises e, consequentemente, adotam posições políticas de apoio cada vez mais acríticas, cegas e fanáticas, sempre defendendo o legado de governos e pessoas, e não as bandeiras e programas socialistas. Assim, visam tornarem-se as principais referências políticas na blogosfera brasileira. Estas práticas tem levado muitos “blogueiros progressistas” a prestarem-se ao papel de correia de transmissão das políticas da máquina partidária do atual governo, diga-se, a mais bem acabada e incorporada à institucionalidade da democracia liberal de nosso país. Portanto, parece-nos que o sonho destes blogueiros tem sido tornarem-se uma “grande imprensa”, com um público enorme, com plateia de milhares e milhares, ao invés de radicalizar a democracia na produção midiática em sua cauda longa, ou seja, na práxis cotidiana, multitudinária e concreta das lutas.

Estamos falando de um grupo de blogueiros que vem tentando construir uma certa hegemonia na blogosfera, tentando torná-la politicamente uniforme no apoio ao atual governo e adjetivando-a enquanto “militância progressista” e, por fim, ligando-a de forma indelével às políticas liberais-conservadoras deste novo petismo que vai se consolidando no e por meio do governo, que já não possui qualquer tintura de esquerda, e, por vezes pior, está ligado a um governismo pragmático que historicamente faz política de mãos dadas com a direita oligárquica e rentista.

Contestamos, pois, esta prática de considerarem-se como “a blogosfera progressista” e não como parte de uma blogosfera política muito mais antiga, ampla, diversa e de rico potencial emancipatório.

Tendo em vista estas reflexões críticas, propomo-nos a lutar para criar e fomentar alternativas a este tipo de prática na blogosfera, colocando-nos sempre à disposição de ações unificadas em favor de bandeiras comuns que vão para além da defesa deste ou daquele governo, este ou aquele partido.


Governo Progressista?

Somente nos primeiros seis meses do Governo Dilma, o povo brasileiro foi derrotado sucessivas vezes, a começar pelas nomeações de liberais e conservadores para os ministérios. Entre os exemplos mais gritantes, evidenciamos a posição do governo e sua “base aliada”: em defesa do salário mínimo de R$ 545,00 aprovado enquanto aprovaram salários de R$ 26.723,13 para os parlamentares; a não aprovação do Projeto de Lei 122 e o kit antihomofobia (em nome da “governabilidade” com a bancada reacionária dos evangélicos, que integram a “Base Aliada”); o imobilismo em favor de um projeto de reforma agrária; a aprovação do Código (des)Florestal para favorecer a expansão das fronteiras do agronegócio exportador; a privatização de vários dos principais aeroportos do país; a conivência e defesa da manutenção de um grande retrocesso na pauta cultural; se colocando contra a liberdade na rede e o compartilhamento livre; respondendo processos na Organização dos Estados Americanos - OEA por violações dos direitos humanos (em função da criminosa anistia aos torturadores ao caso de Araguaia); e, principalmente, a repressão aos povos indígenas do Xingu com a finalidade de construir a Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, que favorecerá as oligarquias e a instalação de grandes transnacionais eletrointensivas na região.

Este é um governo cujo Ministro da Defesa atua diariamente contra os interesses nacionais, agindo como cúmplice dos EUA e parceiro de Israel, chegando ao ponto de anunciar ter “perdido” os documentos militares sobre a repressão da ditadura militar brasileira. Um governo que atropela os interesses populares ao continuar impondo a criminosa transposição das águas do rio São Francisco ignorando o diálogo com as populações atingidas, os impactos socioambientais envolvidos e as alternativas de convivência com o semiárido proposta pelo povo e sociedade civil organizada.

Este é um governo que atua lado a lado com o grande capital e as oligarquias em detrimento dos interesses da população, garantindo grandes volumes de verba às “UniEsquinas” sem qualquer garantia de qualidade no ensino (ao mesmo tempo em que não realiza qualquer investimento significativo em educação básica) ou às empresas de telecomunicação com um PNBL (Plano Nacional de Banda Larga, hoje apelidado de Plano Neoliberal de Banda Lerda) risível, que não garante qualidade ou velocidade e, pior, ainda impõe um limite absurdo aos dados durante a navegação. Além de financiar com dinheiro público, via BNDES, quase todos os megaempreendimentos privados e socioambientalmente impactantes das indústrias de papel e celulose, das eletrointensivas e das empresas do agronegócio, entre outros.

Este é um governo que se diz preocupado com os direitos humanos e que quer ser potência global, mas atua de modo imperialista em defesa dos interesses de seu capital monopolista nacional, com as empreiteiras, Petrobras, Vale, enquanto renuncia à política soberana e ativa, que Celso Amorim conquistou em termos de política externa, por uma aproximação torpe com os EUA – com direito a presos políticos na visita de Obama à cidade do Rio de Janeiro para silenciar a voz crítica da população. Que diz que irá priorizar a educação mas continua reduzindo o
orçamento já estrangulado, assim como faz com a saúde, enquanto o bolsa rentista semanalmente paga um programa bolsa família em dinheiro para os credores da dívida interna.

Este é o governo que atua com desenvoltura na condução, em parceria com governos estaduais e municipais, de uma política danosa para as populações atingidas pelos mega eventos esportivos. As remoções no Rio de Janeiro são exemplo da implementação de um modelo de política urbana que despreza o direito à cidade e atende a uma lógica privatizante qualificada como radicalmente danosa pelo Ministério Público Federal. Exemplo disso é acessão ao estado e ao município do Rio de Janeiro de imóveis públicos federais para repasse à iniciativa privada. Esta cessão não é para a criação de projetos de moradia, mas para uma “revitalização” da área portuária que será cedida a um consórcio privado, atendendo às necessidades do mercado imobiliário especulativo. Este tipo de ação não é restrita ao estado e município do Rio de Janeiro, pois acontece com igual gravidade, por exemplo, em Fortaleza cuja prefeitura do PT utiliza os mesmos métodos adotados por Eduardo Paes (PMDB). Em várias cidades-sede da Copa do Mundo de 2014, está em curso um violento processo de remoção, inclusive comandados por governos de “esquerda” que em nada se diferem de administrações tucanas que em São Paulo, por exemplo, agem violentamente contra moradores/as amedrontados/as pelas remoções em Itaquera, onde a favela do Metrô também é alvo desta política vil. Em quase todas as cidades que sediarão a Copa do Mundo, populações vulnerabilizadas tem sofrido com remoções forçadas que desrespeitam sua história e os laços criados com seus territórios de vida.

Estes crimes são cometidos em nome de uma “imagem” do país no exterior, de um modelo de desenvolvimento que despreza tudo e tod@s em prol de números favoráveis para a propaganda governamental e eleitoral, ignorando inclusive acordos internacionais firmados com relação aos direitos humanos e ao meio ambiente. O resultado é o agravamento dos problemas socioambientais e o desrespeito às populações atingidas pelo avanço impiedoso de uma máquina que premia o capital e marginaliza a população que sofre com o processo de criminalização da pobreza por meio do avanço das forças de repressão travestidas de política de segurança, mas que trazem no fundo um terrível sentido de manutenção de uma vigilância feroz ao que foge do sonho de consumo das elites.


O que queremos e pelo que vamos lutar

Não é este o “desenvolvimento social” e o “crescimento econômico” que a esquerda anticapitalista precisa reivindicar, e sim alternativas com base nas experiências e lutas populares que contemplem a reivindicação intransigente da reforma agrária, da democratização da comunicação, da justiça ambiental, da abertura dos arquivos da ditadura e da redução de jornada de trabalho, de uma sociedade mais justa e com plenos direitos para seu povo. As bandeiras devem progredir, não a paciência, pois só se avança resistindo e lutando.

Lutamos pela democratização da comunicação e da cultura, pela possibilidade de ampliação dos meios de vivência e produção midiática, por universidades públicas para tod@s, gratuita e de qualidade, bem como uma Educação básica que possa ser pilar para novas gerações, com salários dignos a noss@s professores/as; assim como também lutamos pela saúde pública de nosso povo, pelo direito a um meio ambiente produtivo e saudável, pela igualdade de raça, gênero e etnia. Para avançar em tudo isto, defendemos a auditoria cidadã das dívidas da União para viabilizar estes recursos.

Lutamos pela verdade das lutas, pela abertura irrestrita dos arquivos da ditadura militar e justiça como reparação às vítimas e à verdade sobre quem participou e corroborou com este regime, direta ou indiretamente, e, claro, todos os métodos autoritários, tão comuns no Brasil inclusive antes e depois dos anos de chumbo.

Lutamos para que se coloquem em marcha processos de empoderamento d@s sem-voz, d@s sem terra, d@s sem renda, d@s sem teto, d@s sem universidade, d@s sem internet, d@s despossuíd@s, d@s sem acesso à cultura, d@s sem educação de qualidade, e, principalmente, daqueles e daquelas sem a possibilidade de viver e produzir dignamente.

O Eblog convida tod@s que se identificam com estas lutas a se unirem conosco para organizar diversas blogagens coletivas, campanhas, encontros, oficinas, discussões, cobertura e divulgação de lutas. É hora de nos organizarmos e avançarmos com as lutas históricas sem esperar que governos e partidos o façam por nós.

A partir do Eblog, defendemos a DEMOCRATIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO como princípio, o que significa dizer que lutamos por: a) Um Plano Nacional de Banda Larga que universalize o acesso oferecendo internet de alta velocidade em regime público; b) A luta pela aprovação do Marco Civil da Internet que endosse a liberdade civil na rede; c) Um novo Marco Regulatório dos Meios de Comunicação (“Ley de Medios”) que ponha fim nos monopólios e oligopólios da comunicação brasileira. Paralelo a isso, estamos atent@s e somos combatentes nas lutas: d) pelo fortalecimento do Estado laico; e) pelo fim do machismo e do patriarcado com o fim da violência contra as mulheres e pela descriminalização do aborto; f) contra o racismo; g) contra a homofobia e pela aprovação do PLC 122 sem nenhuma alteração que privilegie os interesses de grupos religiosos; h) contra todas as formas de discriminação; i) pela abertura dos arquivos da ditadura militar e pela punição legal dos torturadores e cumprimento das decisões da Corte Interamericana de direitos Humanos (CIDH); j) pela justiça socioambiental e contra Belo Monte; l) contra a criminalização da pobreza e dos movimentos sociais; m) por uma reforma agrária ampla e popular; n) contra toda e qualquer forma de censura, na Internet ou fora dela.


Para não ficarmos apenas elencando lutas, estamos propondo uma blogagem coletiva pela DEMOCRATIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO (que incluem os itens “a”, “b” e “c” das nossas lutas/bandeiras) para JÁ, de 7 a 10 de Julho de 2011. Está na hora de tod@s arregaçarmos as mangas – blogueir@s progressistas, de esquerda, nerds, independentes, músic@s, escritores/as, jornalistas etc. – e somarmos esforços em torno das lutas que nos unificam.

Escreva seu texto pela democratização da comunicação e divulgue nas redes com a hashtag #DemoCom e não esqueça de “taguear” a postagem também como “blogagem coletiva pela democratização da comunicação” e “democom” entre os dias 7 e 10 de Julho.


Se você concorda com nossos princípios (ou com a maioria deles), pode aderir e assinar esta nota publicando-a em seu blog e incluindo sua assinatura ao final. Temos identidade e temos lado, mas não queremos ficar restritos a guetos e nem apenas organizando encontros. Ousemos lutar!
 

Eblogs que assinam este documento:

Alexandre Haubrich – www.jornalismob.wordpress.com
Amanda Vieira – http://amanditas.wordpress.com/
Bárbara de Castro Dias – http://eacritica.wordpress.com
Bruno Cava – http;//www.quadradodosloucos.com.br
Danilo Marques – http://www.dandi.blogspot.com
Gilson Moura Jr. – http://tranversaldotempo.blogspot.com/
Givanildo Manoel – http://infanciaurgente.blogspot.com
Israel Sassá Tupinambá – http://uniaocampocidadeefloresta.wordpress.com
Incendiário, Pravda e Rosa Vermelha - http://blogmolotov.blogspot.com
Lucas Morais – http://www.diarioliberdade.org
Luciano Egidio Palagano – http://razaoaconta-gotas.blogspot.com/
Luka – http:www.bdbrasil.org
Marcello Barra – http://democratizandodf.blogspot.com
Mário Marsillac e Sturt Silva – http://ousarlutar.blogspot.com/
Mayara Melo – http://mayroses.wordpress.com/
Niara de Oliveira – http://pimentacomlimao.wordpress.com
Paulo Piramba – http://ecossocialismooubarbarie.blogspot.com
Pedro Amaral – http://terezacomz.blogspot.com
Raphael Tsavkko – http://www.tsavkko.com.br
Renata Lins – http://chopinhofeminino.blogspot.com/
Rodolfo Mohr – http://rodomundo.juntos.org.br
Rodrigo Dugulin – http://lavandoloucas.blogspot.com
Sandro Ivo – http://noticiasfragmentos.wordpress.com
Sérgio Domingues – http://pilulas-diarias.blogspot.com
Tiago Costa – http://tapesinmyhead.wordpress.com

    quarta-feira, 13 de julho de 2011

    "Querem mais é que a gente se exploda"


    Muito bem humorado e inteligente o protesto que tomou conta de calçadas de Copacabana e se alastra pelas redes sociais. Diante das explosões dos bueiros no Rio de Janeiro o publicitário Fábio Maia e o designer Leo Conrado resolveram alertar as pessoas do perigo utilizando adesivos muito bem sacados. E como nem só de calçada um protesto ganha fama o "Manifesto Minado" foi parar no Facebook. Segue o texto.

    QUEREM MAIS É QUE A GENTE SE EXPLODA.

    Rio de Janeiro: Cidade Olímpica. Deve ser porque a gente tem que fazer uma verdadeira ginástica pra andar na rua. Desde cedo, a gente aprende a olhar pros dois lados antes de atravessar. Com o tempo, aprende a ficar ligado em todas as direções. Por causa de assalto, de bala perdida, do mosquito da dengue. Agora, peraí, até pro chão nós temos que ficar de olho? Cadê aquela história de que pra baixo todo santo ajuda? Antigamente, o máximo que poderia acontecer era pisar em cocô de cachorro. Hoje em dia, basta passar perto do bueiro errado que boom!

    Bueiro errado?! Vejam só a que ponto chegamos. Será que alguém já tinha imaginado que, um dia, saber a diferença entre bueiros de gás, esgoto, telefone, TV a cabo e... energia elétrica... poderia ser questão de vida ou morte? Só faltava essa: nós mal deixamos de ser reféns do tráfico (deixamos?) e, agora, temos que viver como refugiados da guerra da Colômbia, do Afeganistão ou de Angola. Alguma boa alma pode dizer para a nossa querida Light que o Brasil é membro do Tratado de Ottawa e, assim sendo, minas terrestres são proibidas em nosso país?

    Bem, enquanto as autoridades competentes(?) conversam (e conversam... e conversam... e conversam...), a gente protesta combatendo fogo com fogo. Nossas armas? Ideias-bomba! Por isso, estamos colando adesivos criativos nos bueiros de luz da cidade, evidenciando e chamando a atenção para o problema, além de sinalizar a revolta da população. Com a nossa intervenção-manifestação, usamos a guerrilha para contra-atacar o terrorismo que estão fazendo com a gente. Junte-se a nós e dissemine essa iniciativa, antes que detonem de vez com a nossa segurança.

    Assumem a autoria do atentado: Fábio Maia, Leo Conrado e gecko stickers

    sábado, 9 de julho de 2011

    "Senta aqui, Bolsonaro!"


    Na última quinta-feira, dia 6, o cartunista Laerte, participou de um debate na Casa Folha em Paraty (RJ) sobre cross-dressing e homofobia, e deixou boas tiradas para serem registradas e divulgadas, entre elas, o "Senta aqui, Bolsonaro" ao defender que o movimento LGBT lute contra a guetificação.
    "Você tem que sair das trincheiras e lamber o pescoço. Tipo: 'Senta aqui, Bolsonaro!'"
    Não deixou por menos também a piada de péssimo gosto (se é que pode ser chamado de piada) do humorista Rafinha Bastos do CQC ao dizer que mulher feia tinha que agradecer ao ser vítima de estupro:
    "Dizer uma coisa dessas num país que ainda trata mal suas mulheres, muitas vezes com violência, especialmente aquelas que não estão no padrão das capas de revista, é de uma crueldade sem tamanho. O humor trabalha com o preconceito, mas ele extrapolou todos os limites com isso e é natural que haja reação."
    Para saber mais leia a matéria da Folha aqui.

    Carta Capital noticia carta de Amanda que rejeitou prêmio PNBE


    No último dia 5, o portal da revista Carta Capital noticiou a recusa da nossa companheira Amanda Gurgel ao prêmio PNBE destacando parte da carta da companheira. Veja aqui a carta de Amanda e aqui a matéria da Carta Capital.

    quinta-feira, 7 de julho de 2011

    "Rapaz, tu não tá nem no partido já está conseguindo arrancar as coisas daqui" (video)

    Mais um ministro de Dilma caiu. Desta vez o ministro dos transportes, Alfredo Nascimento do PR. Denúncias vinham se acumulando sobre a corrupção no ministério e chegaram a um ponto que começaram a pautar a grande mídia. A ISTOÉ desta semana por exemplo estava preparada para ser uma bomba mas nem foi necessário. O estrago já tomou tal proporção que Nascimento pediu pra sair. Como parte das denúncias da revista, um video foi divulgado mostrando a forma como o PR utiliza do ministério para angariar novos quadros, liberando verbas para obras em Imperatriz. Segue o video:



    Para ler a matéria da ISTOÉ clique aqui.

    terça-feira, 5 de julho de 2011

    Blogosfera Ocupada: Professor Albione Opina


    Professor Albione Opina, como não poderia deixar de ser, é o blog do professor Albione, da cidade de Ipiaú, no interior da Bahia. O blog de opinião está no ar desde março deste ano e vale o destaque para o video exclusivo com Amanda Gurgel sobre o dia 02 de julho.

    Como blog de um companheiro do partido, faz falta os links para nossa rede incendiária de portais como PSTU, LIT, Archivo Trotsky, entre outros. Fica a sugestão, Albione.

    Clique aqui para vistar o blog do professor Albione.

    domingo, 3 de julho de 2011

    Veja fotos do PSTU baiano e de Amanda Gurgel no cortejo do 2 de julho











    Mais fotos aqui.

    Blogosfera Ocupada: PSTU Bahia


    Nossos companheiros da Bahia também mantém um blog que vale a pena a visita e que aliás completou no dia 22 de junho um ano de estrada. Como destaque vale o post da participação de Amanda Gurgel na caminhada do 2 de julho que nossa companheirada do partido participou e ainda fez um belo registro fotográfico que também vale conferir.

    Clique aqui para vistar o blog e aqui para ver as fotos no Picasa do PSTU Bahia.

    Tem uma recomendação de blog? Proteste aí que a gente divulga. 

    A amazônia tem dono (charge)

    Pater

    sábado, 2 de julho de 2011

    2 de julho de 1823: Independência da Bahia

    É comum nos referirmos ao movimento de independência brasileiro como um mero conchavo entre grandes países, aonde o povo não teve participação alguma. Mas, a história não é bem assim, e o 2 de julho tão comemorado pelos baianos é a prova disso.

    O video a seguir de um telejornal baiano conta um pouco da história da Independência da Bahia.

    Homofobia de família


    "Filho de peixe, peixinho é", ou seria, "filho de homofóbico, homofóbico é"? O vereador do Rio de Janeiro, Carlos Bolsonaro, mandou um "CHuUuuupa Viadada" na sua conta do twitter para comemorar a absolvição do pai.

    Liberdade de expressão? Estimular a intolerância e o ódio aos homossexuais é "liberdade de expressão"?

    Guerra das cadeiras entre PCO e PCdoB nos Correios (video)

    O video é do trigéssimo CONREP, conselho de representantes da Fentec, ocorrido entre 15 e 19 de junho, no Laguna Plaza Hotel em Brasília. Nele os cutistas do PCO e os ctbistas do PCdoB "resolvem" suas diferenças na base da guerra das cadeiras. O governo agradece a colaboração.

    sexta-feira, 1 de julho de 2011

    A fusão (charges)

    Amâncio

    Junião

    Miguel

    Nani

    Pelicano

    ZéDassilva

    Zope

    Blogosfera Ocupada: PSTU Regional ABC


    Nossos companheiros da regional ABC também mantém seu blog no ar e atualizado, o que sempre é um desafio. Ainda hoje a tarde foi publicada a declaração repúdio ao aumento de 61,8% de aumento nos salários dos vereadores de São Bernardo do Campo, que passam de R$ 9.288 para R$ 15.031,76.

    O blog dos camaradas é muito bom. Fica só a sugestão para ligarem o recurso "Seguidores" do Google Friend Connect, além do histórico de postagens que ajuda aos blogonautas a viajar pelo que já foi publicado.

    Clique aqui para visitar o blog.

    Tem uma recomendação de blog? Proteste aí que a gente divulga. 

    Blogosfera Ocupada: Anel Ceará


    O blog da Anel Ceará completou um ano de estrada na blogosfera e já acumulou mais de 5600 visitas. Destaque para as primeiras fotos da delegação cearense no congresso da Anel. Visite clicando aqui.


    Tem uma recomendação de blog? Proteste aí que a gente divulga.