quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Polícia invade Universidade Federal da Bahia, agride e prende estudantes

O governo quer impor o Reuni nem que seja na base da porrada. Na manhã desse dia 15, a Polícia Federal invadiu a UFBA, cuja reitoria era ocupada pelos estudantes há 46 dias, agrediu os alunos e levaram quatro pessoas presas. Os políciais invadiram a universidade às 6h30 da manhã e utilizaram gás pimenta e bombas de gás lacrimogêneo contra os estudantes.

Segundo a imprensa local, cerca de 20 estudantes ficaram feridos na ação truculenta. Como se isso não bastasse, os alunos que foram à sede da PF prestar queixa contra a ação bárbara dos policiais foram impedidos de registrarem a denúncia “por causa do feriado”. Na imagem, policiais levam estudantes presos.

O reitor Namor de Almeida Filho pediu reintegração de posse da reitoria e de “qualquer imóvel da universidade”, pois “o patrimônio público” estaria ameaçado. A ação bárbara da polícia na UFBA demonstra a escalada da violência contra o movimento estudantil. Unesp de Araraquara, Fundação Santo André, USP, PUC-SP, a lista da repressão contra os estudantes aumenta cada vez mais.

Leia também no Portal do PSTU:

PM invade PUC-SP e desocupa reitoria

Derrotar o Reuni de Lula e FMI

2 comentários:

Anônimo disse...

Na UFRGS, no dia da votação do REUNI, a reitoria chamou a PF, além dos inúmeros seguranças da própria Universidade. Fomos filmados e fotografados; ameaçados de sermos identificados sem mesmo termos começado a manifestação.
Pracompletar, a Reitoria contou com um braço a mais: a UNE. UJS/PCdoB e MPT acamparam no pátio da Reitoria e ajudaram a impedir-nos de entrar no saguão, como é de costume.

Abraços,
à luta.

latino disse...

Quando o Portal do PSTU vai publicar a convocatória do Encontro Sindical Latino-americano que vai se realizar no Brasil no ano que vem?

Na Bolívia, no Paraguai, na Argentina, na Venezuela, e outros países, o Encontro já começou a ser convocado.

O Portal do PSTU até agora não publicou nenhuma matéria informando mais detalhes sobre a convocação do Encontro. Não estaria na hora?