segunda-feira, 5 de novembro de 2007

Ocupação da Unirio começa a sofrer represálias

O camarada Thiago Baptista, do Rio de Janeiro, é militante do PSTU e estudante de Licenciatura em Música na Unirio. Ele enviou alguns informes sobre a ocupação da reitoria da universidade, que permanece desde o dia 25 de outubro. O motivo? O mesmo que está mobilizando estudantes do país inteiro: lutar contra o Reuni de Lula, que vai privatizar e precarizar ainda mais o ensino superior público. Abaixo, reproduzimos os informes do Companheiro. Valeu, Thiago!


Salve, companheirada!

Como em todas as federais do país, na Unirio, o Reuni foi aprovado na calada da noite, sem nenhuma discussão com os estudantes, que, em sua maioria, foram pegos de surpresa, sem saber que existia este tal decreto.

Até agora, a postura da reitora Malvina Tuttman – que também é presidente da Andifes (Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior), a associação dos reitores – foi demagógica, dizendo que “entendia a posição dos alunos” e que achava “legitima” nossa mobilização. Alguns assessores dela até disseram que ‘se precisássemos de alguma coisa, podíamos pedir’.

Porém, com dez dias de ocupação, o calo começou a doer... Vendo que nossa mobilização – que é a primeira deste porte na história dessa universidade, que não tem tradição de Movimento Estudantil – não pára de ganhar força, algumas atitudes repressivas começam a ser tomadas.

Neste final de semana prolongado, de 2 a 4 de novembro, por exemplo, a entrada de pessoas no
campus onde se localiza a reitoria foi proibida das 23h de quinta-feira até amanhã, segunda-feira, às 6h, com a desculpa de manter a segurança do patrimônio público. Na prática, isso fez com que nós ficássemos esses dias presos aqui na reitoria, pois se saíssemos não poderíamos retornar!

Além disso, como estamos ocupando os dois andares do prédio da reitoria – onde funciona toda a burocracia da universidade –, a reitoria faz chantagem conosco, dizendo que estamos prejudicando os alunos, que por conta de nossa ocupação deixam de receber bolsas ou diplomas.

Não bastasse isso, alguns professores ligados à reitoria – com o mesmo discurso demagógico – começam a se dizer “preocupados com nossa segurança”, uma vez que é possível que logo haja um pedido de reintegração de posse do prédio.

Essa mudança de postura só pode ter um motivo: estamos sendo vitoriosos! Estamos conseguindo levar o debate do Reuni para o conjunto dos estudantes, e o Movimento Estudantil da Unirio está cada vez mais fortalecido. E vamos até o fim para barrar o Reuni e derrotar essa reitoria demagógica cujo único compromisso é com o governo federal!

Bem, é isso, minha gente. Saudações revolucionárias!

Thiago Baptista

2 comentários:

Thiago Baptista disse...

Salve camaradas! Novo informe urgente: hoje, às 13hs, a Polícia Federal esteve aqui na ocupação nos notificando que temos 24hs pra sair daqui, ou seremos colocados na rua na base da democracia... digo, do porrete.

Nesse momento, alguns estudantes estão negociando com a reitora uma saída alternativa. As 19hs hoje teremos uma assembléia que irá deliberar qual deve ser nossa postura frente a essa repressão.

Cai a máscara da reitoria! Como em todas as universidades, na UNIRIO o pedido de democracia e discussão por parte dos estudantes é respondido com repressão. É esse o compromisso do Governo Lula com os estudantes desse país: repressão, falta de democracia, rodo!

Pedimos que todos divulguem para o conjunto do Movimento Estudantil mais esse ataque que estamos sofrendo.

Valeu, camaradas! Até a vitória!!

\\//

Anônimo disse...

Nossa, que besteira gigante.

A Reitora Malvina nem é presidente da Andifes, não tem nada a ver.

http://www.andifes.org.br/annoucements.php

Antes de divulgar informações erradas, usem o google pelo menos!