sábado, 2 de junho de 2007

Três anos de ocupação no Haiti


1º de junho de 2004. Atendendo ao pedido do imperialismo ianque que precisava tirar seus mariners do Haiti e ecaminhá-los ao pântano iraquiano, os capacetes azuis da ONU sob o comando militar brasileiro passaram a cumprir o papel de exército invasor na primeira nação independente da América Latina.

Completados 3 anos do apoio militar brasileiro aos interesses do carniceiro Bush, o PSTU se soma a todos os lutadores haitianos e exige mais uma vez a imediata retirada das tropas brasileiras do Haiti.

Para ilustrar os 3 anos de invasão colonial no Haiti, recorremos a Latuff, que tem sido uma presença constante no nosso Coquetel Incendiário e já havia publicado 2 videos acerca da ocupação no Haiti que consideramos extremamente pertinentes para o momento. Ei-los:



Para ler no portal:
Leia também no portal da LIT:

Um comentário:

trabalhador disse...

Caralho, esse PSTU é pequeno-burguês demais!

Já colocaram mais uma matéria no site, sobre o tal "PAC da Segurança", dizendo que combater a criminalidade é um clamor "da classe média".

Da classe média o cacete, porra! É clamor do povão, dos trabalhadores da periferia!

A elite já tá muito bem protegida dentro dos seus condomínios com vigia e câmeras de segurança!

Esse PSTU só pode sofrer de extrema falta de contato com a periferia!

Os bairros da periferia JÁ ESTÃO SOB OCUPAÇÃO, ocupação desses VAGABUNDOS, MARGINAIS DESGRAÇADOS, que não respeitam ninguém.

Os trabalhadores não aguentam mais não poder sair de casa para ir na outra rua, e ao chegar na esquina ter um bando de vagabundos cheiradores de cocaína FAZENDO PEDÁGIO, exigindo UM REAL pro trabalhador poder passar.

CHEGA, PORRA! Trabalhador quer ver marginal é morto e enterrado! Esses vagabundos canalhas NÃO RESPEITAM NEM OS PRÓPRIOS VIZINHOS!

E não venham com essa história de "falta de opção", que quem quer sobreviver sem virar marginal tem muitas opçôes: vender milho verde, vender pipoca, vender latinha de cerveja em porta de show, engraxar sapato...

O desemprego é algo terrível, mas a imensa maioria dos desempregados não viram marginais, PORRA!

Não existe clamor popular maior entre os trabalhadores da periferia do que EXTERMINAR OS MARGINAIS, que infernizam a vida dos trabalhadores.

A classe média está muito bem. Ela é assaltada "de vez em quando". Já o trabalhador da periferia, a quilômetros de distância da delegacia mais próxima, tem que aturar os marginais todo santo dia roubando e ameaçando os próprios vizinhos, fazendo "pedágio" e essas coisas.