segunda-feira, 25 de junho de 2007

Jornalista do Miami Herald publica artigo sobre racismo no Brasil

O artigo chama-se"Racism takes many hues" e é assinado pelo jornalista negro Leonard Pitts Jr. O mesmo foi publicado neste domingo dia 24 e faz parte de um especial do Miami Herald entitulado: "A Rising Voice: Afro-Latin Americans".

Todo o artigo merece destaque, mas um trecho que chama atenção é o que atesta a cultura da desidentificação negra brasileira. O jornalista afirma que "um homem de pele escura que poderia ser automaticamente chamado de negro em qualquer outro lugar tem um vocabulário racial que permite apagar sua origem africana". Ou no original para quem preferir:
"...a dark-skinned man who might automatically be called black elsewhere has a racial vocabulary that allows him to skirt the Africa in his heritage altogether. He can call himself moreno (racially mixed), mestizo (colored) or pardo (medium brown). Anything but "afrodescendente'' (Africa-descended) or negro (black)."
Para quem saca bem o inglês vale ainda ouvir o áudio do jornalista na mesma página da matéria.

Aproveitando o tema: que tal uma visita à página da Secretaria de Negros e Negras do PSTU?

Um comentário:

greco-romano disse...

Bom dia e boas festas.Para começar,discordo absolutamente da noção de "racismo" que va exa propõe.Existe uma coisa chamada Racialismo,que preconiza salvaguarda da estirpe racial á qual a pessoa pertence.Tal defesa deve ser feita a todo o custo,e sem reservas,sob pena de ver desaparecer a identidade cultural de uma nação.Sou Português,herdeiro de um grandioso passado histórico,e vejo a identidade cultural e étnica do meu país a ser submergida lentamente por vagas de imigração estrangeiras e estrnhas á cultura nacional Portuguesa.Sou 100% contra a mistura racial,porque considero perigosa no sentido em que desvirtua a verdadeira essência do individuo,transformando-o num híbrido sem referências e despersonalizado.Atenção que isto não tem nada a ver com o Hitler nem com o Nazismo,não fiquem a pensar isso.Não!Ser racialista-identitário é proteger a identidade cultural nacional,amá-la e continuá-la.Está provado que a miscigenação é uma das causas do estado em que se encontra o Brasil e outros países da América Latina.Isto é um facto consumado!Não há nada a fazer,é suficiente ver a realidade da América Latina e compará-la com países de predominância caucasóide para se chegar a esta conclusão.Toda a gente tem o direito á vida,sim senhor,mas separadamente,de acordo com as suas especificidades étnicas e culturais.É isso que os Identitários europeus defendem e crêem.
Termino com votos de um Feliz Natal e um próspero Ano Novo.


P.S.Aproveitem para visitar este excelente blog português,onde se debatem assuntos de interesse como o que eu postei.Aqui vai:http://gladio.blogspot.com