domingo, 28 de outubro de 2007

UFBA ocupada!

O companheiro Fred Bruno publicou em nosso arremesso "Ocupações contra o REUNI estouram nas universidades federais" um comentário sobre a ocupação da UFBA que postamos aqui:

"Nós estudantes da UFBA estamos ocupando a reitoria desde o dia 1 de outubro. Tudo começou com um vasamento de gás que dura meses na residência universitária, fez com que os residentes resolvessem ocupar a Reitoria. O tempo passando e logo se viu que existiam problemas maiores que esses, e que o maior deles era o REUNI. O DCE (AE,DS) tentou a todo momento desviar o foco do REUNI, mas como não conseguiu abandonou a ocupação.

No dia 18 de outubro em Assembléia geral com mais de 600 estudantes que votou CONTRA o REUNI, o DCE foi obrigado a retornar a ocupação. Hoje, Temos a mais longa ocupação das contra o REUNI com 27 dias tendo que enfrentar a truculência do REItor que fez um CONSUNI fraudado, e um DCE que joga contra mobilização dos estudantes, mesmo assim sabemos que cada dia que passa ganha mais força o movimento contra o REUNI."


A ocupação da UFBA também possui um usuário no YouTube com videos da ocupação. Eis os videos publicados até agora em ocupacaoufba:

4 comentários:

em dúvida disse...

O registro da CONLUTAS no Ministério do Trabalho não é necessário. A CONLUTAS não é um sindicato, não representa uma categoria específica, não precisa assinar convenção coletiva de trabalho.

Se a CONLUTAS não precisa assinar nenhuma convenção coletiva, pra quê registro?

A CONLUTAS vai pedir para ser registrada legalmente como uma Central Sindical pelo governo federal?

Existem acusações de que a CONLUTAS deseja ser registrada oficialmente como Central Sindical pelo governo federal, igual a CUT e a Força Sindical vão ser.

O governo está em um processo de transformar as Centrais Sindicais em organizações oficialmente reconhecidas pelo Ministério do Trabalho.

A CUT obviamente quer o seu registro, pois isso significa mais verbas do Imposto Sindical.

Alguns setores acusam a CONLUTAS de também estar desejando este registro.

Seria bom que a CONLUTAS esclarecesse de uma vez por todas se vai pedir esse registro. Se pedir, estará fazendo o velho jogo do atrelamento do movimento sindical ao Estado.

Se a CONLUTAS for realmente revolucionária, não pedirá qualquer tipo de reconhecimento do Estado burguês. Pelo contrário, recusará qualquer registro.

Se a CONLUTAS não precisa assinar convenção coletiva de nenhuma categoria, pra quê registro?

Não ao registro!!!

Incendiário disse...

Caro "em dúvida",

Este blog é do PSTU. O PSTU apóia, incentiva e participa ativamente da CONLUTAS, mas não é a CONLUTAS.

Nossa posição sobre legalização ou não da CONLUTAS é uma posição partidária e não da Coordenação.

Se você quer saber qual a posição da CONLUTAS sobre o tema, gentileza encaminhar para conlutas@conlutas.org.br.

Saudações incendiárias,

em dúvida disse...

Não se trata de "legalização". A questão não é essa!

Uma coisa é transformar a CONLUTAS em uma Associação registrada em cartório, uma Pessoa Jurídica com CNPJ.

Isso eu estou totalmente de acordo, e não há nenhum mal. Provavelmente isso já foi feito, e a CONLUTAS já tem CNPJ e conta em banco. Algo normal e sem maiores problemas.

O problema é querer registrar a CONLUTAS no MINISTÉRIO DO TRABALHO, como os sindicatos são registrados.

Atualmente, as Centrais Sindicais não tem registro no Ministério do Trabalho. O governo está querendo mudar isso, e reconhecer oficialmente as Centrais como entidades sindicais. A CUT e a Força Sindical estão de olho nisso, pois significa receber dinheiro do Imposto Sindical.

A CONLUTAS não pode aceitar nenhum tipo de registro no Ministério do Trabalho! A CONLUTAS não é um sindicato específico de uma categoria, portanto não tem nada que "negociar" com ninguém. Não precisa ser reconhecida, e nem sentar em mesa nenhuma com o governo, o que seria nada menos que um PACTO SOCIAL.

NÃO ao registro da CONLUTAS no Ministério do Trabalho!!

Incendiário disse...

"Em dúvida",

Está registrada sua posição. Agora se quiser de fato saber qual a posição da CONLUTAS sobre a questão, encaminhe e-mail para conlutas@conlutas.org.br.

Saudações incendiárias.