domingo, 21 de outubro de 2007

"O que quer Heloísa Helena?"

No último dia 15, o portal Correio da Cidadania publicou um artigo entitulado "O quer quer Heloisa Helena?", aonde Gilberto Maringoni da direção nacional do PSOL, discorre sobre a atitude da presidente nacional de seu partido em praticamente militar publicamente contra a posição do I Congresso do PSOL realizado entre os dias 7 e 10 de junho.

Colo aqui trechos finais de Maringoni:
"Infelizmente, é larga a tradição brasileira de chefes partidários colocarem-se acima dos coletivos. Isso vem do período imperial, no qual oligarcas regionais dominavam arremedos de agremiações e faziam o que bem entendiam. No século XX, incontáveis caciques políticos abusaram dessa prática. Suas raízes estão no patrimonialismo das classes dominantes, pródigas em enxergarem a coisa pública como extensão de seus domínios. O PSOL não precisa de chefes. Precisa de dirigentes democráticos e socialistas, que rompam com os vícios da política tradicional.

Este tema deve ser um dos principais da pauta do Diretório Nacional do partido, ainda não reunido, quatro meses após o Congresso. Lá, deve-se oferecer à presidente do PSOL duas opções:

1. Não atacar mais publicamente decisões partidárias ou;

2. Licenciar-se de suas funções dirigentes enquanto desejar fazer sua pregação pública contra o partido.

Deve-se debater livremente e depois votar. É o mais democrático."

Corretíssima a queixa do dirigente do PSOL, o problema é que seu partido não reconhece a importância do centralismo democrático, e sem ele, se pode até "discutir livremente e depois votar" tal como sugere, mas não se pode centralizar, e assim as figuras públicas estão totalmente livres para defender o que bem entendem, tal como Heloisa o faz. Bela democracia, não?

Para ler no portal:

4 comentários:

Anônimo disse...

Sabem porque as Pastorais da Igreja Católica são contra a Transposição do Rio São Francisco? Para não perder sua massa de manobra!

A Igreja Católica quer manter o seu "rebanho" de sertanejos pobres eternamente na miséria, para poder manipular e controlar esse rebanho.

A Igreja quer que os sertanejos passem o resto da eternidade dependendo das ridículas cisternas construídas pela Cáritas.

O povo sertanejo do Nordeste não merece viver eternamente na miséria, refém das intempéries da Natureza, e tendo como única fonte de água uma cisterna ridícula que recolhe pingos de chuva, que não dá nem para lavar roupa direito.

Essa situação interessa à Cáritas, à Igreja Católica e às Pastorais, que querem manter o estado de dependência e dominação.

É lamentável que o PSTU se some a esta campanha criminosa contra a Transposição, patrocinada pela Cáritas e Pastorais católicas.

Parece que todo investimento no Nordeste incomoda os sulistas, até mesmo os mais "revolucionários"... Ninguém viu o PSTU protestar contra os bilhões gastos com o "Rodoanel" de São Paulo.

andre disse...

O que a Igreja quer não importa, o que importa é que os sertanejos não querem ser massa de manobra é do governo que vai gastar milhões (velha indústria da seca) com a transposição que só irá atender os interesses dos latinfundiários (muitos deles parlamentares)enquanto mente através da mídia burguesa dizendo que esse monstruoso projeto servirá realmente aos sertanejos. O PSTU está com a luta dos Trabalhadores Sertanejos eles são soberanos e merecedores de decidir e se a Igreja quer se somar a essa luta não somos nós que vamos impedir.

Anônimo disse...

Porque o André não ficou indignado quando o governo gastou milhões construindo Siderúrgicas e Refinarias de Petróleo na região Sudeste?

Porque a indignação é apenas quando se investe milhões no Nordeste?

Se a Transposição só vai beneficiar os latifundiários, é apenas porque existem latifúndios. Fazendo a Reforma Agrária, e expropriando os latifúndios, a Transposição passará a beneficiar os assentados. Visite um assentamento de Reforma Agrária no sertão nordestino para você saber o que é ter que caminhar quilômetros com um balde na cabeça para conseguir um pouco de água.

O certo não é ser contra a Transposição, o certo é ser a favor da Reforma Agrária.

andre disse...

conheço mt bem a realidade de um assentamento, já gravei um documentário com um deles q posso até está lhe repassando depois. Pq não se fazer a reforma agrária primeiro, pq investir bilhões num projeto q na prática servirá aos latifundiários? a resposta é simples tudo q vem do governo é em prol da concentração de terra e capital nas mãos da burguesia inclusive a transposição q alimentará a sede das grandes propriedades e em pouco tempo matará o rio. A minha indignação é completa não só com esse ou aquele projeto do governo e sim com todo o caráter desse governo populista q ilude pessoas como vc e implementa os planos da burguesia nacional e do FMI.