terça-feira, 6 de janeiro de 2009

POEMA DE MINHA IRA ou PAZ DOS CEMITÉRIOS

O companheiro Adriano Espíndola deixou um poema sobre Gaza na nossa área de protestos e que publicamos aqui.
POEMA DE MINHA IRA ou PAZ DOS CEMITÉRIOS

Meu coração palestino,
ferido de morte, clama por justiça.
Clamor que resulta inútil,
frente a indiferença das arrogantes
potências imperiais.

Outro dia finda na faixa:
Armas de destruição em massa
destroem minha Gaza,
explodem crianças,
arrasam com sonhos.

Sionismo maldito e covarde.
teu fim está próximo.
O sangue que derramas,
é o combustível de minha ira!

4 comentários:

AF STURT disse...

eu ja tinha lido o poema na pagina original no blog pessoal dele....
muito bom mesmo....

Adriano Espíndola disse...

Obrigado companheiros. Comunista e, por conseqüência, internacionalista, sinto em minha própria pele as injustiças que ocorrem em Gaza. Aproveito, para esclarecer, aproveitando a audiência do blog, que sou mineiro de Uberaba, sendo que o meu coração se tornou palestino pela solidariedade de classe. Abraços.

splendid disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Incendiário disse...

O comentário anterior foi excluído por se tratar de spam