domingo, 4 de janeiro de 2009

Bourdoukan: "Que venham as câmaras de gás e os crematórios"

O jornalista Georges Bourdoukan publicou hoje em seu blog uma postagem que resgata o que foi a dita "trégua" "violada" pelo Hamas. Bourdoukan conclui com seu prognóstico do próximo passo dos sionistas, ou pelo menos da vontade deles.

Que venham as câmaras de gás e os crematórios
O que a mídia esconde sobre a trégua.

Ela duraria seis meses. E nesse meio tempo tanto o Hamas quanto Israel honrariam o compromisso.

E o que aconteceu?

O Hamas honrou o compromisso apesar das inúmeras invasões das tropas de Israel para assassinar os “líderes” daquela organização palestina.

Todos esses assassinatos ocorreram com o beneplácito da mídia, que em nenhum momento se preocupou em alertar a opinião pública sobre os crimes praticados e o conseqüente rompimento da trégua.

Os dirigentes israelenses entenderam isso como uma carta branca para agir a seu bel prazer.

Nenhum dirigente europeu protestou contra esse rompimento da trégua por Israel. E o delinqüente Bush não só não protestou como sempre apoiou tais assassinatos.

É evidente que os dirigentes do Hamas perceberam que não podiam ficar de braços cruzados.
Precisavam responder para alertar a humanidade. E qual foi a reação do Ocidente?

Acusar os dirigentes do Hamas de terrorismo. É importante ressaltar que os dirigentes do Hamas jamais invadiram Israel, apesar das tropas israelenses fazerem de Gaza o seu campo de teste de novas armas.

E Israel não se contentou em assassinar palestinos. Precisava matá-los de fome e sede.

Sempre com o silêncio do Ocidente.

Só para se ter uma idéia da situação em Gaza. Israel cercou toda a região e confinou um milhão e meio de palestinos no maior campo de concentração de que se tem notícia.

E mais: proibiu a entrada de víveres, água, cortou a energia elétrica, destruiu hospitais, proibiu a entrada de medicamentos.

Tudo isso durante a trégua...

E ainda: Os palestinos não podiam receber qualquer tipo de ajuda humanitária.

Aos palestinos restaram duas alternativas: morrer à míngua ou defendendo-se.

Eles morrerão às centenas e milhares.

Serão massacrados.

E como todo palestino assassinado pelos israelenses, seja ele criança, mulher ou idoso, é considerado liderança, aos israelenses só restará aplicar a solução final.

Fornos crematórios e câmaras de gás.

Até quando?

2 comentários:

R. Junior disse...

E os primeiros da fila dos crematórios deveriam ser esse Bourdoukan e aqueles que comungam de sua visão (míope e retardada) de mundo!!!

Anônimo disse...

Parabéns ao Bourdoukan. A realidade é exatamente essa: se depender da vontade dos genocidas de Israel, o próximo passo é matar os palestinos em câmaras de gás.