domingo, 25 de março de 2007

Trabalhadores de todo o Brasil dizem não às reformas

Cerca de cento e cinqüenta ativistas do Pará viajaram 55 horas para dizer não às reformas. Organizados pela Conlutas, chegaram cantando "governo Lula, pode esperar, estão chegando os lutadores do Pará".

Dentre as categorias representadas estão majoritariamente construção civil, rodoviários, camponeses e servidores públicos federais, da Conlutas e da Intersindical.

Na delegação também se encontram vinte ativistas que viajaram de Macapá a Belém para participar do evento.

De Minas Gerais vieram vinte ônibus, totalizando 800 ativistas e dirigentes sindicais. Destes, 16 ônibus foram organizados pela Conlutas, dois pelo FST e dois pela Intersindical. Cacau, da Conlutas-MG, afirmou que "a grande adesão dos trabalhadores consolidou a Conlutas no estado" e informou que os a quantidade de presentes superou muito o objetivo inicial do estado, que era de 10 ônibus.

Pernambuco trouxe 89 pessoas, entre estudantes metalúrgicos, professores e trabalhadores dos Correios. Eles fizeram questão que a delegação fosse anunciada no ato. "fizemos um grande esforço para chegar aqui. Foram 52 horas de viagem e estamos desde as 4 horas da manhã aqui. Tem de anunciar", cobrou um integrante da delegação.

Um comentário:

Tati disse...

Não podemos esquecer também os estudantes que bravamente lutaram para consolidar a caravana que saiu de Belém. estes vão estar presentes na plenária do dia 26 para dizer um grande NÃO também a Reforma Universitária!