domingo, 29 de julho de 2007

Documentário cearense sobre a transposição das águas do rio São Francisco

A "frente cearense por uma nova cultura da água" produziu um documentário sobre os verdadeiros interesses do projeto de transposição das águas do rio São Francisco. A partir de depoimentos contundentes o documentário prova que o problema do Sertão Nordestino não é SECA é CERCA e que não existe interesse em acabar com a sede de água do nordetino mas com a sede de lucro do capital.










2 comentários:

sertanejo de Mombaça disse...

"Nova cultura de água" pra esse pessoal que mora em Fortaleza, estuda na UFC e toma banho de meia hora todo dia é MUITO FÁCIL!

Eu quero ver ter esse mesmo discurso contra a Transposição morando em Quixeramobim ou no sertão dos Inhamuns, e sem ter água limpa pra lavar a louça...

Pra esse pessoal do litoral, tudo é muito fácil... Não conhecem a realidade do Sertão.

Só os ricos vão ter acesso à água da Transposição? Muito simples: façam a Reforma Agrária, pra todos terem acesso às águas da Transposição!

Nada justifica ser contra a Transposição. Os impactos ambientais são mínimos, a quantidade de água retirada do São Francisco é irrisória em termos percentuais.

Só falta dizerem que são contra porque "a obra é muito cara". Engraçado, se fosse um projeto de 5 bilhões no Sudestes maravilha, ninguém era contra... Mas como é um investimento no Nordeste, todo mundo chia...

Incendiário disse...

Obrigado por seu comentário "sertanejo de mombaça".

Infelizmente pelo que pude constatar você não assisitu ao documentário que é baseado centralmente em depoimentos de homens e mulheres do interior e não do litoral cearense.

O documentário que pelo jeito você não se permite assistir, mostra que a transposição praticamente levará água do velho chico para o litoral e não para a região que mais precisa de água pra matar a sede do sertanejo.

Tenho acordo com você que o que é preciso mesmo é fazer a reforma agrária, essa sim URGENTE e NECESSÁRIA. Mas fica a pergunta: Por que o governo tem dinheiro para "mover" o rio, mas não tem para derrubar as cercas? Será por que a transposição interessa aos amigos e heróis latifundiários de Lula, e a reforma agrária não?

Saudações incendiárias.