sábado, 7 de julho de 2007

A Chacina do PAN

Foto de Márcia Foletto, no O Globo

O Massacre do Morro do Alemão, "Chacina do PAN" nas palavras da socióloga Vera Malaguti, não pode ser encarado como um remédio amargo mais necessário na luta contra a criminalidade. Crianças foram mortas a faca e até mesmo degoladas na frente de suas mães. Policiais invadiram casas e saquearam moradores. Policiais posaram ao lado dos cadáveres como se estivessem exibindo sua caça abatida em um safari. Houve até daqueles que chegaram a afirmar que se dariam muito bem no Iraque ou na Faixa de Gaza.

Não houve no Complexo do Alemão, nenhuma ação real de combate a criminalidade. O que moveu o aparato repressivo de Cabral e Lula foi uma operação de "limpeza" para tirar pobres e pretos das ruas e assim "não estragar a festa" do PAN. Mas não é só isso. O que houve no Alemão, nas palavras das próprias autoridades, foi só o começo de uma prática que pode ser disseminada para Cidade de Deus, Mangueira, Maré, e também para outros estados.

O próprio presidente da república, no dia 02/07, prestou solidariedade ao Governador Sérgio Cabral, afirmando que não "é possível enfrentar a bandidagem com pétalas de rosas". Com essa declaração a polícia recebe das mãos do próprio presidente da república o poder de agredir, torturar, saquear e exterminar aqueles quem ela própria considerar "perigosa".

Tanto a ação da polícia como a postura de Cabral e Lula devem receber repúdio irrestrito e ser amplamente divulgadas e denunciadas.

Para ler no portal:
Leia também:

4 comentários:

miscigenado disse...

A própria foto mostra um policial negro.

Aquele gordinho com a metralhadora na mão é negro.

Então não venham querer dar conotação racial a algo que é eminentemente classista.

O objetivo do governo não é limpar as ruas dos "pretos e pobres". É limpar apenas dos pobres.

Até porque os turistas que vem para o PAN adoram uma mulata.

O objetivo do Estado não é se livrar da Daiane dos Santos.

A questão é exclusivamente de classe, e nada tem a ver com raça.

O policial negro tá aí na foto pra provar.

Sem medo de ser preto disse...

Impressionante como incomoda a algumas pessoas quando alguém aponta o dedo para o racismo brasileiro.

Olha o racionicínio do miscigenado: o problema não tem nada haver com racial porque tem preto na policia, preto no esporte e preto no apelo sexual do mercado.

Da mesma forma havia preto capitão do mato e preto na Casa Grande. E ninguém pode negar que a imensa maioria seguia sendo massacrada, torurada, violada....

O Brasil foi construído em cima da carne mais barata do mercado, a carne negra, e isso continua sendo assim, mesmo com preto na polícia matando preto, preto no esporte e preto na prostiuição, mas quase todos eles na favela.

Anônimo disse...

Preto de tão pobre, diz...
Por muitas vezes me confundo negro com pobreza, é por uma questão facil de ser identificada no Brasil, o povo pobre é negro, passemos a vista pelos presídios, favelas, escolas publicas, meninos de rua,o proprio Marcelo Yuka falou "...todo camburão tem um pouco de navio negreiro..." o nosso racismo é tão forte que ainda hoje segrega e é por isso que ainda vivemos em um aparthait racial sim e social...

Chega de bandido disse...

Se a policia não exterminar estes ratos, eles exterminam as pessoas de bem. Vamo la PM mete bala nesses safados!!!!!