quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

UNE vai ao Haiti prestar apoio às tropas

No dia 3 de fevereiro uma comitiva de autoridades do Brasil partiu em direção ao Haiti, “averiguar” a situação do país arrasado pelo terremoto e visitar as tropas de ocupação e o governo Préval. Formada por deputados, militares e diplomatas, a comitiva teve a ilustre presença de um representante da UNE, a União Nacional dos Estudantes.

O diretor de Relações Internacionais da entidade, Daniel Iliescu, acompanhou o grupo. Segundo o Portal de notícias do PCdoB a comitiva, assim que chegou, visitou o Batalhão Brasileiro no país, onde foi recebida pelo embaixador brasileiro e o comandante do Batalhão, Coronel Ájax Pinheiro.

Segundo a nota sobre a viagem publicada pelo site de notícias, “ a referência aos soldados era de pessoas que dedicam suas vidas a ajudar as vidas de um povo muito semelhante ao brasileiro”.

Logo depois o grupo se encontrou com o presidente-fantoche do Haiti, René Préval. Fantoche, pois na prática a autoridade do país está entregue aos marines norte-americanos.

Episódio lamentável, triste e vergonhoso para a UNE.

7 comentários:

Amandla Awetú disse...

Informações distorcidas, infelizmente.

Rosa Vermelha disse...

E qual seria a versão correta?
Pergunto de verdade, vamos ao debate!
Saudações!

Pedro Lages disse...

Nossa, como vocês são fanáticos, lunáticos, doentes. Aliás, o sistem de governo proposto por vocês já mostrou ser falho mais uma vez, a Venezuela está ai.


Ato lamentável da UNE, pelo menos uma coisa coerente eles fizeram, vocês que defendem a retirada de tropas do Haiti deveriam saber mais sobre a situação de lá e do papel das Forças Armadas Brasileiras.

Atitude lamentável é de vocÊs, bando de radicas extremistas.

J.P. disse...

Pedro, A venezuela é caitalista. E o pstu não reivindica Chaves.

O meu partido Tem um pé no Haiti.Desde o início da ocupação nós denuciamos e sempre fomos vaisitar o país para ver o que podemos fazer. Mandamos grupos, delegações, militantes e muitos haitinaos vem sempre nos visitar.

Por isso que estamos na campanha para conseguir dinhero para reconstruir o Haiti. Mas você sabia que os EUA mandaram 15 mil marines, tropa de elite da marinha americana (forjada não para resgate mas para combate) para o HAITI? Por que mandam soldados e não médicos (15 mil médicos e enfermeiras, grupos de resgate, seriam ótimos não?). POr que no lugar de remédios mandam fuzis? Nã sria bom? Será que é eu que sou fanático?

Pedro Lages disse...

Bem, estou acompanhando o Minustah desde sua existência e percebi sensíveis melhoras para o povo Haitiano. Os nossos homens em conjunto com outros militares reestabeleceram o controle e a presença de autoridade em boa parte do país, conseguiram se livrar de boa parte dos chefões das favelas e minaram com quaisquer tentativas golpistas, além, é claro, da substancial condição de vida do haitiano. Nossas tropas não estão lá para ter expansionismos, estamos em nome da ONU.


Bem, muito estranho você alegar que a Venezuela é socialista, estatização constante das empresas, regulamentação do comérico pelo Estado, enfim, todas as características de um estado socialista. Então pegue a Cuba de exemplo ou até mesmo a Coreia do Norte. O muro de Berlim caiu, ou vocês ainda não perceberam isso e seu significado?!

Os Estados Unidos enviaram tropas por três razões básicas:
1º Mostrar à Venezualas aos pseudosocialistas que não haverá tolerância de revoluções socialistas e ditaduras do proletário por aqui, América Latina.(vocÊs só gostam da democracia enquanto estão fora do poder)
2º Ajudar ao Haiti, armas são necessárias para conservar a paz e o controle da situação. Tanto que é o país que mais ajudou os haitianos até agora, inclusive cedendo um navio hospital gigantesco e centenas de médicos. Não fechem os olhos para isso.
3º Os marines, os SF(special Forces) são tropas de elite, portanto os mais capacitados para a missão do Haiti, de gancho os EUA querem reestabelecer a liderança no continente.

Ahhh sim, vale ressaltar que vários desses soldados do "regime do mal" estão ajudando a reconstruir o devastado país caribenho.


Parem com essa ideologia besta e de enxergar chifre em cabeça de cavalo, sejam menos anti-americanos e mais críticos.

Abraços

Sou de direita, mas abraços várias propostas defendidas pela esquerda, porém tenho aversão a ela pura.

Tavos disse...

Pedro,
creio que todos nós estamos abertos ao debate, mesmo com os nossos mais ferrenhos opositores. Contudo, não sei se cabe numa discussão civilizada acusar seus adversários de serem "fanáticos, lunáticos, doentes".

Dito isto, reenfatizo que não apoiamos os regimes populistas chavistas ou castristas e nem os delírios de Kim Jong-Il. Sobre o muro de Berlim, tampouco apoiávamos o Stalinismo; muito antes pelo contrário, muitos camaradas nossos foram assassinados por esse regime, inclusive Trotsky.

Sobre os motivos norte-americanos:
1) Se há o interesse do proletariado em criar um estado socialista, os Estados Unidos não tem o direito de intervir. o Haiti, apesar de tudo, é um estado soberano e tem o direito de fazer suas próprias opções. Não é necessário criar um Iraque na América Latina, nem 'levar a democracia' como tentaram os EUA no Vietnã, Afeganistão, etc.
2) As armas estão "mantendo o controle" daqueles que se rebelam por falta de comida. COMIDA. Enquanto eles tentam lutar pelo direito humano mais básico e primário, são reprimidos pelas tropas estrangeiras. Quanto às 'centenas' de médicos, em primeiro lugar, elas não se comparam aos 'milhares' de soldados. E em segundo, esses médicos tem um público muito certo: as vítimas nos prédios do governo, nos grandes hotéis, nas sedes diplomáticas. A população, o proletariado, os famélicos e miseráveis - para estes não há médicos, sejam estadunidenses ou não.
3) Quanto a isso concordo com você, os EUA QUEREM sim reestabelecer controle do continente. E se você se sente confortável com dezenas de estados SOBERANOS se subjugando a uma potência imperial, não entendo sua birra com, por exemplo, a URSS - é muito diferente?

Quanto aos 'chefões' das favelas e os 'golpistas', são na verdade, em grande parte, líderes políticos e sindicais, que organizam os trabalhadores haitianos para lutar pelos seus direitos mais básicos. As potências capitalistas não só querem fazer questão que a miséria se mantenha naquele país (para que possam continuar explorando sua mão de obra barata) como querem também ter certeza que ninguém poderá reclamar.

Novamente, lembro que embora estejamos todos dispostos ao debate, preferiríamos fazê-lo sem insultos.

Abraços.

Pedro Lages disse...

Ok, ok, sem insultos.

Mais uma vez vocês usam de argumentos fracos para justificar o fracasso do socialismo como forma de governo, aliás, não existe sistema causador de mais desigualdade social que esse sistema. Socializa a pobreza para a maioria da população, enquanto que um pequena parcela "amiga" do governo, em 99,9% das vezes ditatorial, usufrui de todos os malefícios do capitalismo.

O socialismo é um perigo real, não para os EUA, mas para nós mesmos, se o quadro não mudar entraremos em uma crise séria, tanto financeira, quanto democrática. Não sou favorável à política externa dos americanos, apesar de respeitar e admirar a postura do povo americano, que deixando de anti-americanismos baratos, sempre foi um povo extremamente trabalhador, além de fazerem o possível para mudar a realidade social deles.

Infelizmente não há médicos para todos, pessoas com relevância política devem ter prioridade sim, não somos todos iguais, porém penso que se deve prover a todos um cuidado básico. É triste, mas soldados armados são necessários para estabelecer a paz e evitar uma carnificina maior.

Os chefões das favelas não são sindicalistas, aliás, podem até ser, mas têm controle, ou tinham, controle total de suas regiões através do tráfico de drogas e armas, impunham o terror a população que ficou extremamente grata aos militares, com destaque para os brasileiros por livrarem da opressão destes sanguinários. Eles estabeleciam um verdadeiro estado paralelo.

A seguir por sua lógica os movimentos como Comando Vermelho(de origens socialistas) e PCC são legítimos, oras, surgiram como movimentos sociais.

Te digo uma coisa mais, o mundo capitalista não tem interesse nenhum em explorar o Haiti, simplesmente não tem mais nada a oferecer, foi exaurido ainda como colônia. Portanto, recolha este discurso vitimista, cego e sem propósito.

O debate está interessante, este choque de ideias, ideologias só tendem a crescer o nosso pensamento crítico.

Aquele abraço de um direitista que abraça vários ideiais da esquerda.