sexta-feira, 30 de outubro de 2009

A homofobia de Requião não tem cura

A história política brasileira está cheia de declarações que são verdadeiras aberrações. O “estupra mas não mata” do Maluf, o “Relaxa e goza” da Marta e por aí vai. Esta semana o governador do Paraná adicionou à lista de infâmias dos ilustríssimos, a relação entre câncer de mama nos homens com passeatas gays. Inconformado com a reação dos que protestaram contra tal sandice , Requião retrucou o deputado estadual do PT, José Lemos, com a seguinte “pérola”: “Eu nunca imaginei que eu fosse mexer com suas opções sexuais”. O governador sequer deixou a poeira baixar, aliás muito pelo contrário. Sofre sem dúvida de homofobia em altíssimo grau.

3 comentários:

Rosa Vermelha disse...

Lamentavelmente, o preconceito e a opressão têm sido generalizados e banalizados. Reforça uma suposta legitimidade desses atos repugnantes o fato de serem praticados por pessoas influentes.

Esta semana, o governador do Paraná, Roberto Requião (PMDB), atribuiu o câncer de mama masculino às “passeatas gays”. Há alguns meses, o governador do Mato Grosso do Sul, André Pucinelli, chamou o ministro do meio-ambiente, Carlos Minc, de “veado” e disse que o estupraria em praça pública.

Até Marta Suplicy, historicamente defensora dos oprimidos, em 2007 apelou a uma frase machista. “Relaxa e goza” foi dito por ela aos passageiros aéreos revoltados com o caos nos aeroportos durante a crise aérea. Em 2008, insinuou que seu adversário na corrida pela prefeitura de São Paulo era gay e que isso poderia ser um problema. E por aí vai...

Lamentável.

Igor Bayma disse...

QUERIA FALAR SOBRE A MATERIA DA ALUNA DA MINI SAIA, QUE TÁ NA PÁGINA PRINCIPAL...ANTES DE VER QUE TINHA UMA MATERIA DO PSTU, LI A REPORTAGEM DA GLOBO.COM, E VI O VIDEO NO YOUTUBE, COFESSO QUE FIQUEI CHOCADO, SELVAGERIA PURA!!

Breiner77 disse...

Relmente é triste ver pessoas públicas sendo tão preconceituosas, mas o pior é que isso aguça ainda mais o preconceito entre os brasileiros. Um país de tantas diversidades e que luta dia-a-dia para vencer esse mal sofre um abalo a cada declaração pública desse tipo.
Dias atrás foi o técnico do Goiás que fez uma declaração similar, agora um político.
É realmente lamentável.
Nós faz indagar sobre quanto tempo ainda vai demorar para o brasileiro vencer o preconceito.